Querido Diário...

Feriado de Corpus Christi... Resolvo escrever no blog. Divagações de quem não nada para fazer nesse dia. Colocar no papel, ou melhor no blog alguns acontecimentos. Passagens engraçadas da minha singela vida. Sim, aqui é meu diário, onde deixo impressas meus sentimentos, minhas bobagens, minhas receitas, meu tudo.



Uma leseira, das muitas que me aconteceram... Fui convidada para uma festa de aniversário de um namorado de uma amiga. Um almoço de domingo. Como todos os domingos, vou almoçar na casa da minha irmã com toda a família. Já vou toda arrumada para o aniversário, saio mais cedo do almoço e sigo para o apartamento onde está acontecendo a festa. Ao chegar no prédio não vejo tantos carros estacionados na frente. Mesmo assim estaciono e estranho, será que o almoço já acabou e a festa terminou? Entro e subo para o apartamento. Silêncio na porta... Buzino... Nada de ninguém atender. Aguardo uns instantes e vou embora. Ligo para o celular da amiga e não atende. Volto para ver a nossa conversa do dia do convite. Sim, me adiantei no calendário uma semana!! Isso mesmo, a festa só seria no domingo seguinte! Como sou lesada!! Dia certo lá estava eu novamente e agora sim na festa certa!


Descubro em uma conversa com amigo de longa data que meu amor por ler assusta as pessoas. Ele me contou que ao me conhecer, isso já faz mais de 10 longos anos, e conversamos sobre minhas leituras pensou: oh menina pedante, literatura russa? Aff... Como assim??? Ri muito. Logo eu, a pessoa mais lenta e normal da face da terra. Meus gostos não estão somente em literatura! Gosto de futilidades também. E literatura russa é tão trivial ou intensa como qualquer outra! Ainda bem que tivemos a oportunidade de nos tornar amigos e ele atestar com o tempo que a primeira impressão não é a verdadeira.

Muitas vezes somos rotulados, não sabemos e nem somos aquilo! Bom  sempre dar a segunda chance de conhecer melhor as pessoas.

Beijos grandes
Adriana Balreira


Coisas que todo leitor ama


1) Ganhar livros 
Natal, aniversário, dia dos namorados, amigo secreto, pode ser por todos os motivos. O importante é ganhar um livro. Nada se compara ganhar um livro de presente. Desembrulhar o pacote para descobrir qual será o livro da vez. É gostoso demais sentir o cheiro de livro novo. Livros nunca é demais. 

2) Encontrar pessoas que amam ler 
Nada melhor o encontro dos que amam ler. Conversar sobre o último livro lido e saber não estar entediando o parceiro de conversa. Poder compartilhar e discutir sobre os novos lançamentos. Escutar sobre livros ainda não lidos. 

3) Encapar os livros 
Sim, sou dessas. Não consigo começar a ler um livro se este não tiver coberto com uma linda capa de tecido. Tenho já várias capas e vou testando nos livros até que ele esteja bem coberto e muito fofo. Assim mantenho o livro limpo no decorrer da leitura. Já ensinei aqui no blog como é fácil fazer essas capinhas fofas. 

4) Livrarias são paraíso 
Ir numa livraria ou até mesmo fuçar nas lojas on line aquele livro desejado e finalizar a compra. Mesmo que o livro vá para a fila de espera dos trocentos livros para se ler. Sim meu povo livros nunca é demais para quem ama ler. Ficar descobrindo novos livros para se colocar na lista de espera. Porque sempre quero mais e mais e a lista nunca tem fim. 

5) Presentear com livros
Fico super feliz em dar livros de presente. Não preciso de datas especiais para isso. Basta descobrir que a pessoa gosta de ler que já fico pensando em qual livro poderei dar. Se pudesse só daria livros de presente! Uma lástima saber que nem todos gostam de ler...

6) Sair sem livros? Jamais...
Não saio sem que colocar um livro e meu kindle na bolsa. Se não os levo fico com a sensação de orfandade. A espera de médico, na hora do almoço no trabalho, em um engarrafamento. Todos os momentos livres são aptos para ler.

7) Emprestar? 
Eis uma tarefa díficil para um leitor apaixonado. Livros emprestados nunca voltam. Parecem que passam pelo triangulo das Bermudas e por lá ficam. Vários livros do coração fizeram a passagem só de ida e nunca mais voltaram. Tenho apego sim aos meus livros. Então saiba se te dei ou emprestei algum dos meus xodós, te considero muito!!! 

Beijos 
Adriana Balreira


Várias coberturas de Bolo... ♥

Um bolo fofo caseiro. Daqueles normais feitos rapidinhos, com um furo no meio. Uso sempre essa receita básica. Todos finais de semana é sempre o mesmo bolo mas na hora de servir sempre damos uma incrementada nele. Dessa maneira comemos cada vez um bolo para lá de diferente! Vejam algumas das coberturas usadas nos últimos bolos:


Esse foi no dia das mães. Estávamos no Sitio da minha irmã, onde limoeiros fazem a festa. Pegamos vários limões e colocamos em duas latas de leite condensado. Partimos o bolo na metade com ajuda de uma linha, molhamos as metades com um pouco de leite, preenchemos com esse mousse de limão e por cima colocamos o restante por cima do bolo. Enfeitamos com folhas do limoeiro e pronto! Um lindo bolo do dia das Mães!


Já esse bolo de cerejas foi para o aniversário da namorada do meu sobrinho. Ela ama cerejas e merengue suiço. Também é um bolo com furo no meio, todo preenchido com o merengue e colocado cerejas maraschino por cima. Simples e com um visual lindo. Adoro esse merengue.


O de Caramelo foi o bolo de ontem. Mais uma vez chegamos na casa da minha irmã com um bolo fofo e para mudar um pouco fizemos um caramelho com açucar queimado, creme de leite e manteiga. Jogamos por cima e jogamos flor de sal para dar um toque diferente nele.



Outro que fizemos foi o do aniversário da minha mãe . Outro bolo de furo, fofo. Cobrimos com chantilly com pedaços de damasco. E partimos o bolo ao meio e recheamos com brigadeiro branco com damasco seco.


Mesmo bolo e várias maneiras de saborear. Ficam bonitos e saborosos. ♥♥♥

Beijos doces
Adriana Balreira

Para Poder Viver - Resenha

Adoro ler histórias sobre outras culturas, outros países. Principalmente aqueles envoltos em mistérios e opressão. E quando a Companhia das Letras lançou o livro sobre a Coreia do Norte tinha que ler. PARA PODER VIVER - A jornada de uma garota norte-coreana para a liberdade da Yeonmi Park e Maryanne Vollers, um livro forte e maravilhoso.



Site | Facebook | Twitter  Instagram 

Yeonmi Park uma menina norte-coreana que não sabia o significado de liberdade e amor. Viveu até os 13 anos sob o regime ditadorial dos Kim! Se Yeonmi tivesse ficado na Coreia do Norte, ela e sua fammília iriam morrer de fome ou executados pelo regime opressor do Kim Jong-Il. O livro é narrado em primeira pessoa em três fases: na Coreia do Norte, na China e na Coreia do Sul. Na sua infância seu pai vivia de contrabandos e conseguia manter uma casa com alimentos para Yeonmi e sua irmã mais velha Eunmi. Ela menciona como era ficar olhando as luzes do outro lado da fronteira da China enquanto sua cidade Hyesan se encontrava na escuridão, pois eram raros os momentos com energia elétrica. 

Mesmo no inverno com baixas temperaturas eles dispunham de aquecimento adequado. Os alimentos eram racionados e não tinham sequer assistência médica. Uma vez Yeonmi adoeceu e teve que ser internada e nem gases havia. E no pátio ficavam amontoados corpos das pessoas que morriam no hospital, pois o governo só coletava quando houvesse pelo menos 5 mortos. E é que Yeonmi nasceu em 1993! Não faz tanto tempo assim. Antes de fugir da Coreia do Norte, nunca tinha sequer provado leite. Não fazia ideia de onde vinha. Algumas frutas e animais só viu após sua fuga. 



Aos treze anos, quando o pai dela tinha sido preso por conta dos contrabandos e já não tinham casa e nem alimentos, ela e sua mãe conseguiram passar na fronteira da China e lá começou uma nova vida. Certa que finalmente seria uma pessoa com liberdade, descobre não ser tão fácil assim. Na China foram vendidas por traficantes humanos. Viu sua mãe ser estuprada e teve que aguentar horrores do traficante para poder sobreviver. Sua irmã tinha fugido dias antes para o mesmo destino mas não encontraram. Seu pai adoentado conseguiu fugir alguns meses depois e se juntar a elas. Depois fugiram para Mongólia e finalmente chegaram à Coreia do Sul. Uma luta para chegarem a liberdade!

Li o livro em dois dias. É forte sim, mostra uma realidade distante demais de todos nós. Muito sofrimento e opressão. Um livro revelador, de muita coragem, com muita emoção. É triste, muito triste. Um fato dos acontecimentos daquela região autoritária. Recomendo a todos lerem esse livro. Perfeito!! Amei!!♥♥♥♥

Beijos de liberdade ♥♥
Adriana Balreira

Para o dia das Mães

Encontrei esse site www.canva.com que é cheio de figuras para edição e algumas são de grátis! E para o dias das Mães tem vários lindos. Olha só alguns que editei para mim!


Esse é fofo!! Dá para colocar o seu nome, mudar o que está escrito. E não tem somente cartões para o dia das mães!


E esse último lindo! Esse abaixo nem mudei o que estava escrito. Só coloquei o meu nome. Vão lá no site do Canva para vocês se deliciarem!


Vocês já conheciam esse site Canva? Não conhecia e fiquei encantada com tantas figuras que podemos baixar free. Ainda não sei mexer muito. Mas já estou amando.

♥♥ Feliz dia das Mães!! ♥♥

Beijos fofos
Adriana Balreira

Cuca de Goiabada e Banana

Semana passada vi no blog Panelaterapia uma receita de Cuca de Goiabada e como sou louca por doces não resisti e fui testar fazer uma cuca durante o final de semana. E como tenho duas formas redondas, resolvi fazer uma de goiabada e outra de banana. Amo tudo que leva bananas!!


Fiz uma receita de bolo básico branco:

Ingredientes da Massa:
- 3 ovos
- 2 1/2 xícaras de açucar refinado
- 3 xícaras de farinha de trigo com fermento
- 3 colheres de sopa de manteiga (bem cheia)
- 1 xícara de leite

Modo de fazer: bato os ovos e o açucar na batedeira até ficarem bem cremosos, coloco a manteiga e bato bem. Depois vou acrescentando a farinha de trigo e o leite alternadamente. Pronto!

Tenho duas formas redondas de 23 cm de diâmetro e esssa receita dá dois bolos redondos. Coloco metade da massa em cada forma e eum uma coloquei doce de goiaba e na outra bananas em rodelas. Pode ser também em fatia as bananas.


Em cima da goiabada e das bananas coloco uma farofa: 

Ingredientes da Farofa:
– 4 colheres de sopa de açúcar 
– 4 colheres de sopa de farinha de trigo (usei a com fermento que é a que uso sempre)
– 4 colheres de sopa de manteiga gelada. 

Misturei os ingredientes acima com as pontas dos dedos até formar uma farofinha grossa. E separei em duas partes e uma coloquei por cima do de goiabada. Para o de banana, coloquei canela em pó. Levei ao forno pré-aquecido a 180ºC por 40min.


Minhas Considerações: 

- Achei que foi pouca farofa por cima dos bolos, já que a massa subiu um pouco por cima da farofa.

- Amei o de banana. Ficou muito gostoso. O toque de canela ficou perfeito

- O de goiabada eu achei que ficou doce demais! Vou testar colocar na farofa um pouco de queijo ralado para dar um toque de salgado. Será que fica bom?



Beijos Doces
Adriana Balreira

Clube de Leitura Penguin #18 - Os Amores Difíceis

E nesse mês de abril o nosso clube de leitura Penguin comemorou 5 anos de existência. Muito tempo, fico feliz em estar participando já há um ano e meio. E o livro escolhido foi Os Amores Difíceis do Italo Calvino da Companhia das Letras.


Site | Facebook | Twitter  Instagram 


Confesso que nunca tinha lido nada do Italo Calvino. E pensava ser um escritor do século XIX!! Ledo engano, ele escreveu esse livro em 1958!! Os Amores Difíceis é dividido em duas partes, primeira parte com os amores difíceis e a segunda com a vida difícil. Nos amores dificeis são 13 contos com aventuras diversas: de um soldado, de um bandido, de um leitor, de um automobilista, de um poeta... Contos pequenos, bem cotidianos e contando histórias engraçadas de relações amorosas um tanto difícil! É um casal trabalhando em turnos diferentes e quase nunca se encontram. Enamorados morando em cidades diferentes. Uma esposa passa a noite fora de casa em uma farra. Uma banhista perde a parte de baixo do biquini dentro do mar e não sabe como irá sair assim. Situações diversas e em comum a paixão pelo o outro sempre presente. Amores difíceis mesmo!!!


Na a vida difícil, são somente dois contos um pouco maiores. A formiga-argentina e A nuvem de smog. Não apreciei muito o das formigas. Um casal aluga uma casa repleta de formigas sem fim. Uma agonia isso. Tenho fobia a formigas! Só de ler, a sensação era delas todas em cima de mim! Uiii... O do smog é um conto bem atual, jornalista submetido a ordens do chefe e não tem muita autonomia de escrever o que deseja. Se sujeita pelo emprego, mora numa porcilga e tem uma namorada abastada. Mistura política nesse. O Calvino era italiano e formado em letras. Adorei sua escrita, não cansa e é bem humorado nas relações entre as pessoas.


Todos do clube gostaram dos contos. E teve comparações com o livro anterior da Lygia Fagundes Telles de contos que lemos no mês passado. São contos bem diferentes. O do Calvino é mais direto, o da Lygia mais subjetivo, dúbio, não tem final. Não dá para comparar. E para quem não gosta muito de contos como eu, foi uma verdadeira overdose!! Agora acho que minha cota de contos para esse ano já deu! ♥♥

Beijos amorosos ♥♥
Adriana Balreira


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...