Até hoje... Balanço literário!

Já estamos no meio do ano! Uau, como o tempo passa rápido. Já vi no blog da Betty postagem sobre o Natal! Daqui a pouco as ruas já estão todas enfeitadas para o final do ano. Então resolvi parar um pouco e verificar quantos livros já li até agora. Fui lá no site do Skoob onde vou organizando minha meta de leitura e fazendo uma lista dos livros já lidos.


Eis os livros que li ao longo desses 6 meses (sem ordem, acabo esquecendo!):

1. As Virgens Suicidas - Jeffrey Eugenides
2. Galiléia - Ronaldo Correia de Brito
3. A Elegância do Ouriço - Muriel Barbery
4. A aldeia de Stepántchikovo e seus habitantes - Fiodor Dostoievski
5. Nora Webster - Colm Tóibín
6. Antes do Baile Verde - Lygia Fagundes Telles
7. Os Bons Segredos - Sarah Dessen
8. As Irmãs Romanov - Helen Rappaport
9. Mulheres de Cinzas - Mia Couto
10. Um Passo Atrás - Henning Mankell
11. Os Amores Difíceis - Italo Calvino
12. A Ilha da Infância - Karl Ove Knausgård
13. Como Eu Era Antes de Você - Jojo Moyes
14. Dance Dance Dance - Haruki Murakami
15. Para Poder Viver, A jornada de uma garota norte-coreana para a liberdade - Yeonmi Park
16. Vozes de Tchernóbil, A História oral do desastre nuclear - Svetlana Alexievich
17. A Caderneta vermelha - Antoine Laurain
18. Flores artificiais - Luiz Ruffato
19. Judas - Amós Oz
20. O Primeiro Homem Mau - Miranda July
21. O Retrato de Dorian Gray - Oscar Wilde

De alguns deles fiz resenha e coloquei aqui no blog, outros acabei nem resenhando. E nem foi porque não gostei! Tenho até que tirar um tempo para comentar sobre eles. Ah tempo!! Trabalho consome a maior parte do meu tempo e no restante é ler, sair, viver... Foram livros dos mais diversos gêneros literários. Uns amei mais que outros. Meus xodós continuam sendo o Vozes de Tchernóbil e As Irmãs Romanov.

Agora é ver se continuo a ler nesse ritmo até o final do ano. 

Beijos literários
Adriana Balreira


Série Mulherzinha ♥

Sim, amo série bem mulherzinha. Das séries de TV cheias de romances, que assisto com lencinho na mão de tanto chorar e sofrer com a mocinha da série. E quando vi que a Netflix colocou no ar toda a série Gilmore Girls amei! Na época que passou na TV a cabo aqui no Brasil, assisti alguns episódios quando dava. Gostava de ver a história da mãe e filha Gilmore e seus relacionamentos. Mas agora estou revendo desde o comecinho, do primeiro episódio da primeira temporada. Muito melhor.


Agora sim estou realmente entendendo toda a história. Os porquês de muitos pequenos detalhes antes não notados. Como mostrado no piloto que a Lorelai pede ajuda aos pais para pagar a escola da filha Rory e com condição de emprestar o dinheiro, seus pais a obrigam jantar todas as sextas na casa deles. Para quem não conhece a série a história é da Lorelai, menina rica e que aos 16 anos engravida e resolver sair de casa para criar a filha (Rory) sozinha numa pequena e pacata cidade dos EUA. História simples, mostra o cotidiano das duas. A mãe trabalha de gerente em um charmoso pequeno hotel e a Rory é uma adolescente estudante de uma ótima escola particular. 


Como não estou assistindo nenhuma novela atualmente, rever toda a série Gilmore Girls tem sido o meu passatempo noturno. Estou adorando, não tem maldades e intrigas tão comum nas novelas brasileiras. É leve, romântica, boba, bem mulherzinha mesmo! Encontrei no site Omelete 10 motivos para assistir a Gilmore Girls. Vão lá ver. Outra coisa que adoro nessa série é a cantiga de abertura! Tão fofa!!


Vocês já assistiram a essa série? Eu adoro a Lorelai, adoro o seu jeito de falar, as ironias dela e seus relacionamentos. Ainda estou no 9º episódio da primeira temporada!! No total tem 7 temporadas e cada um delas com média de 22 episódios!!Vou levar um tempinho para ver tudo, mas um dia acabo... rsrs...

Beijos leves e românticos
Adriana Balreira

Clube de Leitura Penguin #20 - O Retrato de Dorian Gray

Para o mês de junho o livro escolhido para lermos no Clube de Leitura Penguin da Livraria Cultura de Fortaleza foi o clássico do Oscar Wilde: O Retrato de Dorian Gray da Companhia das Letras. Clássico dos clássicos!!



Eu já tinha lido quando tinha uns 20 anos, um tempão!! Lembrava da história: um homem que não envelhecia, as marcas do tempo eram transferidas para o retrato pintado para ele. Era basicamente isso a minha recordação da narrativa. Não lembrava nem do final, muito menos dos restantes dos personagens. Lembro do exemplar lido era um da Coleção Imortais da Literatura Universal, livros da capa dura vermelha, lançados em 1970 pela editora Abril!  Ainda tenho alguns comigo dessa coleção.



Acabei adquirindo um livro da Penguin Companhia , mais recente, com um português mais atual para essa releitura. Pensei que iria ser cansativo a releitura, como estava enganada! Com a idade o apuramento das palavras lidas fica muito mais interessante. A degustação da história torna-se mais perceptivel! E a leitura foi extremamente proveitosa, amei todos os personagens. Apesar deles serem um tanto sarcásticos e em certos momentos maus, sem retidão até!



Para quem ainda não conhece a história vou pincelar um pouco dela. Um jovem lindo posa para um pintor que retrata toda a sua beleza no quadro. Esse jovem é o Dorian Gray, órfão, rico e muito belo. No atelier desse pintor, conhece o lord Harry tornando-se grandes amigos. Dorian Gray leva o quadro para sua residência. Por influência do seu novo amigo Lord Harry, acaba se transformando em um homem boêmio, namorador... E Dorian nota que mesmo sendo tão desregrado e com o passar dos anos, sua aparência não mudava. Enquanto o quadro com seu retrato modificava-se de modo aterrador. Gray não permitia ninguém admirar o quadro, o mantinha fechado em um quarto. Vivia, se divertia, experimentava todas as maldades do mundo e seu semblante continuava doce e ingênuo.


Pela história imaginamos ser um livro tolo, escrito em 1890 na Inglaterra, mas engano total. De uma profundidade e atualísssimo. Os personagens todos muito profundos e com frases perfeitas, irônicas, ácidas. O personagem que mais gostei foi do Lord Harry. Livro com muitos ensinamentos e críticas a sociedade. Livro que não envelhece. Livro para ler, marcar e reler várias vezes. Perfeito!! Amei muito. 


A imagem acima é só para vocês terem uma ideia de quantos trechos marquei. Frases maravilhosas. E o nosso encontro do Clube de Leitura foi delicioso com todos amando o livro. Esse é um livro que recomendo demais. Se já leu, faça como eu, releia! 

Beijos infinitos
Adriana Balreira

Pepas e Plaquinhas #amei

Sempre frequento o blog da Lia e Virginia, O Tacho da Pepa e ficava babando pelas pepas e plaquinhas feitas por elas. E todas as vezes que tinha sorteio por lá me inscrevia, vai que a sorte bate na minha porta! Sou brasileira e não desisto nunca. E acabei ganhando!! E na quinta quando cheguei em casa encontro uma caixa enorme me esperando. Dentro um monte de mimos!!


Tão fofo o bilhetinho enviado por elas. Amei o carinho nas doces palavras.


Não são fofas as pepas!! Tão lindas.


E essas plaquinhas de madeira customizadas!! Lindas demais da conta. São verdadeiras artistas mesmo. Amei todo os meus mimos. Vão lá conhecer um pouco mais do blog O Tacho da Pepa. Além de artesãs maravilhosas, tem várias receitas deliciosas. 

Beijos doces
Adriana Balreira

Receita de Queijadinha... Mega fácil

Amo doces! Amo fazer doces! E um dia desses no meu facebook dei de cara com uma receita com poucos ingredientes e com uma cara de que fica mega gostoso. E como estava com sacos de coco natural ralado em casa, fui fazer!



Eis acima a receita, não lembro de quem postou:




Misturei tudo com colher mesmo e ao invés de usar forminhas de papel que tinha na receita, usei umas forminhas de quindim. Para isso untei com manteiga e enfarinhei com farinha de trigo. Levei ao fogo e quando ficou coradinho tirei.



Considerações:

- Era para ter deixado menos tempo no forno. Achei que ficou seco. Não ficou mega seco, mas prefiro mais molhadinha, mais molinha

- Não ficou salgada. Mesmo usando o queijo parmesão de saco, não predominou o gosto do queijo.

- Deram 6 queijadinhas. Uma sobremesa boa e rápida, mas não rende muito.

- Melhor esperar esfriar, fica mais gostosa.

- Consegui desenformar tranquilamente.

Sobremesa super rápida e fácil. Sem segredos.

Beijos doces
Adriana Balreira

Um amor à altura ♥

Um amor à altura todos procuram, até mesmo eu. Hoje é dia dos Namorados mas não será um post em apologia ao amor! Esse é um título de um dos muitos filmes do Festival Varilux de Cinema Francês em cartaz em diversas cidades do Brasil. E fui assistir ontem à tarde. Sozinha, como eu gosto de ir aos filmes. Sem ninguém me pertubando e depois do filme reclamando que assistiu um filme chato, cult demais e assim vai. Sim, porque amo assistir filmes diferentes!   


Sinopse: Diane é uma bela mulher com muito senso de humor e personalidade forte. Advogada bem sucedida, ela está recém-separada de um casamento que já não a satisfazia, e agora está livre para buscar a felicidade e um novo amor. Como uma ação do acaso, recebe um telefonema de Alexandre, um charmoso arquiteto que ela não conhece, mas que encontrou o telefone celular que ela havia perdido. Um simples encontro para a devolução do telefone toma um rumo inesperado. 

  Uma comédia romântica deliciosa para um sábado à tarde! E realmente é um filme com humor e romance na dose certa. Além do ator, Jean Dujardin ser muito lindo!!! Super charmoso. Começa com Diane chegando em casa e recebendo um telefonema de um homem que encontrou seu celular. E eles combinam de tomar um café para ele devolver o aparelho a ela. Um choque! Ela está esperando o homem no café e chega um homem baixinho, muito, muito baixo. Mas extremamente encantador, envolvente, inteligente, charmoso e com um humor maravilhoso.   


  O filme aborda o preconceito social sem ser pesado, com muito humor. Tem um diálogo da advogada com sua assistente na qual Diane está com dúvida em namorar com o arquiteto por ele ser baixinho e sua assistente fala que quando somos crianças nos colocam na cabeça que iremos encontrar um príncipe alto, loiro, másculo..., achei perfeito isso. Verdade, estamos sempre em busca de um homem dos contos de fada! E na verdade temos que focar no interior da pessoa. Por exemplo, o ex-marido da advogada do filme era alto, bonito, advogado, mas um chato, grosso...Aff.... Então o mais importante é como o homem nos trata, nos ama! Isso sim!! 

  Um filme super leve e prazeroso de assistir. E super bem feito, até pensei ser verdade o ator ser um baixinho e me surpreendi em saber dos 1,86m do ator!!! Se puderem assistir, vão! Não só nesse filme, pelo jeito todos os outros filmes do Festival Varilux são maravilhosos! E vai até o dia 22/06! Tem tempo ainda de irem.

Beijos enormes     
Adriana Balreira

A Caderneta Vermelha - Resenha

Quando foi lançado pelo Grupo Companhia das Letras pela Editora Alfaguara o livro A Caderneta Vermelha de Antoine Laurain, fiquei com vontade de ler. A capa é linda e me chamou logo a atenção. Sim, sou dessas que leio/compro livros pela capa. Capa fofa sempre me ganha!!  E depois das últimas leituras um tanto pesadas, Vozes de Tchernóbil e Para Poder Viver, tinha que escolher um livro mais leve.


Site | Facebook | Twitter  Instagram 

Fui ler sem pretensões. Escolhi esse livro para desanuviar um pouco. A história começa com um roubo da bolsa de Laure. No dia seguinte caminhando nas ruas de Paris, o livreiro Laurent encontra uma bolsa jogada em cima de um lixeiro. No interior da bolsa encontra vários objetos e uma caderneta vermelha onde ele se encanta com as frases e dizeres escritos lá. Entretanto não havia dentro da bolsa uma identificação da mulher que a perdeu, somente o seu primeiro nome: Laure! 

E como achar entre milhões de habitantes de Paris essa mulher tão encantadora?? No livro tem diversas referências de livros e autores, até o Modiano é um personagem do livro. Na bolsa, o livreiro encontra um exemplar de um livro Accident Nocturne do Patrick Modiano autografado. E com esperanças de que essa moça seja amiga do Modiano, Laurent cria uma situação para perguntar sobre esse autógrafo. Enquanto isso, Laure está no hospital em coma por conta da batida na cabeça na hora do assalto.



Os personagens centrais já encontram-se na faixa dos quarenta anos. Pessoas maduras e decididas. Um chicklit delicioso de ler. O que mais amei no livro foram as frases de "eu gosto" e "tenho medo" que Laure escreve na sua Caderneta Vermelha. Me deu vontade de começar a registrar os meus medos, os meus prazeres, o que eu mais gosto, também numa caderneta vermelha! Sim, eu tenho uma linda! Que inclusive ganhei da Companhia das Letras. Enfim, um livro ideal para se ler numa tarde com um café. Super leve, romântico, gostoso de ler e rápido. Não conseguia parar de ler para saber o final do livro. Ideal para ler no dia dos Namorados! ♥♥♥♥♥

Beijos mega fofo ♥♥
Adriana Balreira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...