O homem de areia #Livro

Eu amo livros de suspense. Cresci lendo Agatha Christie. E quando busco uma leitura para desanuviar, esse é o genero literário que pego para ler. Embora livros assim deixem os nervos a flor da pele, eu simplesmente amo todo o mistério de quem é o assassino, de como foi elaborado o plano. Bom demais quando o autor consegue nos prender. A editora Alfaguara lançou O homem de areia do Lars Kepler, que é o pseudônimo do casal sueco Alexandra e Alexander Ahndoril. Juro que não sabia desse detalhe, sempre achei que era um só autor! rsrs... Os dois já escreveram 6 livros da série do detetive Joona Linna, que está nesse livro também. Mesmo sendo uma série, esse foi o primeiro que li e não senti falta de ter lido os outros livros.


Site | Facebook | Twitter  Instagram 


O livro começa com o resgate de um rapaz em uma ponte ferroviária que estava declarado morto há 13 anos, Mikael Kohler-Frost. O acusado de te-lo matado, Jurek Walter está preso em um presídio de segurança máxima. Um perigoso serial killer, que entra na mente das pessoas e é mantido isolado. Quem o prendeu alguns anos atrás foi o detetive Joona Linna, que tem um medo profundo do serial killer. O rapaz encontrado na ferrovia é filho de um grande autor e tinha desaparecido com sua irmã há muito tempo. Está muito debilitado e conta que conseguiu fugir mas que sua irmã continua presa pelo Homem de areia. 

Então começa as buscas incessantes para saber o local desse esconderijo, pois o rapaz encontra-se muito doente e o mesmo deve estar acontecendo com sua irmã. As suspeitas recaem em um cúmplice do Jurek Walter. Que esse comparsa esteja com esses reféns presos a mando do Jurek. Mesmo esse assassino perigoso não podendo receber nenhum tipo de visita. Todos tem medo até de conversar com ele. De que ele entre na mente das pessoas e acabem enlouquecendo.


Mas a última alternativa de saber onde fica o esconderijo do Homem de areia é saber do próprio Jurek Walter. Como fazer isso? Infiltrar uma policial na área isolada do presídio para quem sabe o serial killer acabe soltando alguma pista. É angustiante lê o desespero para driblar o tempo escasso para encontrar esse possível cúmplice e salvar a irmã do Mikael. Enquanto a policial está junto com o preso, o detetive Joona Linna está fazendo de tudo para desvendar mais esse imbróglio. Suspense até o final do livro!!


É um livro com capítulos pequenos e sempre com ganchos alucinantes para seguir com a leitura. O leitor não consegue largar o livro um só minuto. O suspense é grande. A curiosidade maior ainda. Não conseguia nem respirar. Tinha horas que o medo é grande. Nunca tinha lido nada desse autor, fiquei encantada. Esses autores nórdicos sempre arrasam no gênero policial. Eu amei esse livro. Vocês já tinham lido algum livro desse autor?

Beijos literário
Adriana Balreira

Mais um ano em ótima Companhia

Mais um ano que meu blog firma parceria com o grupo Companhia das Letras. Não tem companhia melhor! Não é porque tenho essa parceria com a Companhia das Letras. Sempre achei a melhor editora do país, os melhores profissionais, os melhores autores. E fico muito feliz por compartilhar um pouco das leituras que faço dos livros maravilhosos que a Editora Companhia das Letras lança no mercado. E não somente a Companhia das Letras como as muitas das suas editoras Alfaguara, Objetiva, Paralela, Suma, Seguinte. Todas deliciosamente boas.

Então é isso, mais um ano com muitas resenhas, muitos recebidos, muitos livros bons. Meu blog esse mês faz 8 anos e já tenho 7 anos de parceria com a Companhia das Letras. Muito amor!!! 

Beijos literários 
Adriana Balreira

A montanha mágica - Clube de Leitura Penguin

Calhamaço vimos por aqui! No Clube de Leitura Penguin de Fortaleza lemos o clássico do Thomas Mann - A montanha mágica da Companhia das Letras. Como o livro é muito extenso, lemos durante dois meses, janeiro e fevereiro. Que livro! Maravilhoso. Eu já tinha lido o livro Os Buddenbrook e já tinha amado a escrita do Thomas Mann.


A história do livro A montanha mágica é do personagem Hans Castorp que vai visitar seu primo Joachim no sanatório Berghof para tuberculosos no alto da montanha em Davos, Suécia. Hans pretendia passar somente 3 semanas com o primo e voltar a sua vida. Ledo engano.... No dia que completou as 3 semanas, Hans Castorp adoece e sua estadia no Sanatório se estende para que o seu corpo se cure totalmente. Lá no Sanatório encontramos diversos personagens maravilhosos. Claudia Chawchaw, uma russa por quem o nosso protagonista se apaixona. Tem o Settembrini, italiano poeta, ativista político. E outros tantos. A história se passa antes da primeira guerra mundial. Onde o mundo está com vários conflitos a serem deflagrados.



O Thomas Mann é bastante descritivo, então o livro é um passeio minucioso da rotina dos pacientes do sanatório, com as refeições amplamente fartas, repousos com hora marcada, passeios ao arredores. E também tem as conversas animadas entre Castorp e Settembrini. E depois tem judeu jesuíta Naphta para animar o colóquio. O livro discorre sobre o tempo. Com menções de como tratamos o tempo na nossa vida.

Encontro de janeiro/2019


Para mim o melhor do livro A montanha mágica está nos embates entre o Naphta e Settembrini. Altamente filosóficas. Foram as partes que mais gostei. A parte das descrições minuciosas as vezes cansava. Pois em um livro com quase 900 páginas e denso como ele é, não é fácil! Mas era um livro que tinha muita vontade de ler e com essa leitura coletiva ficou muito mais fácil de conseguir vencer. Acho que se não tivesse essa meta de acabar em fevereiro, ainda estaria lendo... rsrs... 

Encontro de fevereiro/2019

O bom do Clube de Leitura é justamente isso, ficamos no whatsapp comentando cada passagem do livro e isso incentivava a leitura a todos. Enfim acabamos de ler o livro A montanha mágica em dois meses e todos do grupo amaram o livro. 

Beijos mágicos
Adriana Balreira

Calendário literário

Ano passado quando estava no Texas, ganhei um calendário da Half Price Books onde consta nos dias quem nasceu nas áreas das artes em geral. Amei e sempre olhava qual personalidade tinha nascido naquele dia. Nunca fiquei tão feliz em ter ganho um calendário! Esse ano já estava triste pois como iria ter esse calendário lindo???


Meados de janeiro, meu amigo do Texas me perguntou se já tinha chegado na minha casa alguns mimos que ele tinha enviado de Natal para mim. Nem sinal!!! E olhem que ele postou em novembro!!! Bom, final de janeiro (dois meses!! Esses correios do Brasil ninguém merece!!!) chegou na minha casa o calendário da Half Price Books de 2019, um livro de poesias Cage da autora Astrid Cabral, brasileira (só não sei se é da minha família, sim sou Adriana Cabral Balreira!) e um CD do cantor de blues Murali Coryell (não conhecia, mas amando as cantigas). Muito fofo e delicado! #muitoamor


Voltando ao calendário, é maravilhoso. Todos os dias vejo qual personalidade nasceu e o ano do nascimento.


Dia 13 de fevereiro, por exemplo, nasceu o George Simenon em 1903. Um autor belga, famoso pelos romances policiais protagonizados pelo Comissário Maigret. Tenho três livros dele lançados pela Companhia das Letras. 


Ainda não li nenhum... Tenho que colocar na minha meta esse ano ler um Simenon! Logo eu que amo romance policial e ainda não li! Absurdo isso!


Se forem aos Estados Unidos da América, consigam um calendário desses para vocês. Muito legal. É daqueles calendários que não importa muito o ano, o importante é saber quem nasceu naquele dia específico! Eu já estava mega feliz pelo calendário de 2018 e agora mais feliz ainda pelo o de 2019! Sim, sou daquelas que adora ganhar mimos delicados, não importando o valor material e sim da lembrança pensada no que realmente do que eu gosto!


Beijos datados
Adriana Cabral Balreira

Cloro #livro

Quando o autor Alexandre Vidal Porto começou a postar nas suas redes sociais (twitter: @vidalporto e Instagram: @alexvidalporto) seu novo livro Cloro, já fiquei com vontade de ler! Sim, pois já tinha lido um livro do Alexandre Vidal e amei o jeito que ele escreve. Já comentei aqui no blog sobre o livro Sérgio Y vai à América dele, li em um dia! Leiam, recomendo muito!!! Sou sim uma fã do Alexandre Vidal Porto!


Site | Facebook | Twitter  Instagram 

Mas voltemos ao livro Cloro. Foi lançado final de novembro de 2018 pela Companhia das Letras. A capa é linda, de uma profundidade! Amei. E agora em janeiro o Grupo Companhia das Letras me enviou um exemplar do Cloro. Chegou aqui em casa na segunda-feira e na terça-feira lá estava eu lendo, devorando seria melhor palavra. 

A história é narrada pelo Constantino, que logo no início do livro avisa a seus leitores que está morto e estando no limbo começa a contar ao leitor a sua trajetória de vida. Sua infância na escola, seus namoros, sua vida com esposa e filhos. Constantino tem a consciência desde a infância que é homossexual, mas acaba reprimindo o que realmente é para poder sobreviver na sociedade em que vivemos. Ao ser chamado de bicha na escola, resolve logo namorar uma garota para se inserir no mundo. 

A partir dessa escolha, sua vida ruma para uma existência desenhada para ser a mais perfeita de todas. Casou com a namorada da juventude, Debora, uma esposa dedicada, do lar, um casal de filhos saudáveis, uma carreira sólida de advocacia. Tudo na mais perfeita ordem, era o que Constantino achava. Até que um dia se dá conta do vazio, do teatro que ele estava vivendo. E ao assistir uma cena homossexual na TV, desperta nele um desejo até então adormecido. Constantino começa a levar uma vida dupla, mantendo seu casamento mas tendo seus casos com homens. Vive no conflito dessa dualidade. E no livro o nosso protagonista faz a catarse de todos esses sentimentos reprimidos por tanto tempo.

Trecho do livro


Não consegui ter raiva do personagem, mesmo sabendo que ele traiu a esposa, os filhos. Pois quem mais sofreu nisso tudo foi o próprio Constantino. Nitidamente não foi feliz com a vida que escolheu. E ainda levou para sua vida insossa a Débora, personagem que tive raiva.... rsrs... pois aceitou viver na morosidade, na rotina bem infeliz do seu casamento. Amei o livro. Li em um dia! A leitura é muito gostosa e rápida.

Cantiga citada no livro

Melhor ainda é que o autor cita músicas, séries, cantores, um mundo de referências ao nosso alcance e bem atuais. Eu adoro!! Foi uma leitura tão marcante que passei quase uma semana para iniciar uma nova leitura. Fico imaginando quantos "Constantinos" existem nesse mundão a fora. Que levam vida dupla, sofrendo por não se aceitarem. Que os "Constantinos" consigam sair do armário e se amarem! E leiam esse livro!! Maravilhoso! 

 Beijos literários
 Adriana Balreira

Chantininho

Adoro Chantilly. Sempre faço em casa para comer com bolo ou com sorvetes. Uso sempre o da marca Amélia, encontro nas lojas onde vende produtos para confeitaria e/ou festas. Mas já vi também nos supermercados. Faço a receita normal, o creme Chantilly Amelia gelado com açucar e bato na batedeira até firmar. Pronto! Adoro, fica uma delícia!


Um dia comentando com uma amiga sobre o chantilly que faço, ela me perguntou se já fiz o mesmo chantilly com leite condensado e leite em pó. Que fica uma delícia, que é a maneira das confeiteiras profissionais fazem. Me empolguei e fui procurar no Google a quantidade correta de cada ingrediente para fazer igual. Ia tornar minha sobremesa mais gostosa, mais profissional!



Lá fui eu... Bom, achei as quantidades e modo de fazer nesse site Amando Cozinhar:
- 500ml de Chantilly gelado
- 08 colheres (de sopa) de leite em pó (150g)
- 150ml de leite condensado bem gelado


Coloquei tudo na batedeira e esperei ficar no ponto firme. Ficou lindo! Do jeito que mostrou no site Amando Cozinhar e nos outros tantos que pesquisei como fazer esse Chantininho. Fiz um bolo de chocolate bem gostoso e lá fui eu testar o famoso Chantilly com leite ninho. Confesso que não gostei.... Sou bem basicona mesmo. Sou clássica, prefiro o metodo antigo de fazer o Chantilly, só com o açucar mesmo. Prefiro! Não sei vocês, mas achei um tanto enjoativo. Já provaram? O que acharam?

Beijos doces
Adriana Balreira

Livros grátis da Edições Câmara

Já comentei por aqui sobre os livros de Literatura Brasileira da Edições Câmara, da Livraria da Câmara dos Deputados. Os livros físicos são publicações lindas, com preços maravilhosos e diagramação fofa. Até aí já estavam uma maravilha! Mas foi quando vi no Instagram da @edicoescamara que agora eles lançaram na Amazon os mesmos livros GRÁTIS!!



Isso mesmo que vocês leram! Grátis!! Você baixa direto da Amazon para seu Kindle os livros maravilhosos da Edições Câmara sem nenhum custo! Já tenho os meus físicos, mas nada melhor que ter eles no Kindle! Baixei todos!!! Além dos livros de literatura brasileira tem os outros livros da editora como a Constituição Brasileira. 


Vão no site da Amazon e coloquem para pesquisar: Edições Câmara, que aparecem todos os livros e se deliciem baixando tudo!! Eis minha dica literária da semana! 




Beijos literários
Adriana Balreira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...