O Perfume da Folha de Chá #resenha

Quando comecei a ver nas redes sociais da Editora Paralela o novo livro O Perfume da Folha de Chá da autora Dinah Jefferies fiquei logo louca para ler. Um romance leve, de época. Bem diferente das minhas últimas leituras que foram pesadas, densas, relatos doloridos. Estava querendo ler algo diferente.


Site | Facebook | Twitter  | Instagram 

O livro O perfume da folha de chá é de uma autora que não conhecia. Dinah Jefferies nasceu na Malásia e aos nove anos se mudou para a Inglaterra. Em 1985 perdeu seu filho então com 14 anos, razão de ter começado a escrever. Em 2015 seu segundo livro, O perfume da folha de chá ficou várias semanas em primeiro lugar Sunday Times Bestselling.


A jovem britânica Gwen chega no antigo Ceilão em 1925 para encontrar-se com o seu marido Laurence que é fazendeiro de chás nesse país. Logo ao chegar no porto ela conhece o Sr. Ravasinghe, um pintor, que a ajuda nas primeiras horas no Ceilão. Laurence mora no interior do Ceilão em uma mansão, viúvo não comenta seu misterioso passado com sua nova esposa. Seu relacionamento com seu marido é apaixonante mas algo impede Laurence de se entregar mais. 

Após uma festa onde sente muito ciúmes do seu marido, bebe muito e não se lembra dos acontecimentos da noite. Laurence tem uma irmã solteira que atormenta a vida do casal, tornando a convivência de Gwen com o marido tumultuoso. Engravida e no dia que dá a luz algo revelador acontece que muda sua vida. Gwen não tem com quem contar, sua melhor amiga e prima Fran mora na Inglaterra. A única pessoa que a ajuda é a criada Naveena.

Romance cheio de mistérios e que te prende na leitura. O segredo envolvendo a leitura conseguir decifrar ao longo da leitura. Não dá para contar aqui, ia entregar o suspense em torno da história. Adorei o livro, o jeito que a autora escreve, fiquei com vontade de ler mais livros dela. A capa é encantadora, a Companhia das Letras manteve a original. Estava lendo ao mesmo tempo esse livro e o livro da Jojo Moyes O navio das noivas. E o livro O perfume da folha de chá me prendeu mais na história. Tinha mais profundidade, mais sentimentos. Dava aquela vontade de ficar lendo e tomando um chá!!

Beijos literários
Adriana Balreira

Clube de Leitura Penguin #27 Clarissa

Mais uma vez postando uma semana após o evento. O livro do mês de fevereiro para o Clube de Leitura Penguin - Fortaleza foi o Clarissa do Érico Veríssimo da Companhia das Letras. Foi o primeiro romance do escritor Érico Veríssimo, publicado em 1933. Sinceramente não lembro de ter lido algum livro dele. E já vou confessando: AMEI!!


Site | Facebook | Twitter  Instagram 

Clarissa é uma menina de 13 anos que saiu do interior para ir estudar na capital e mora na pensão da sua tia Eufrasina. Na pensão tem diversos moradores peculiares. Seu tio desempregado sempre aguardando com um emprego prometido que nunca aparece. Tem o Amaro um bancário com seus quase 40 anos, frustrado por não conseguir viver sua paixão pela música e nutri um afeto pela jovem Clarissa. Tem o casal Odina e Seu Barata. Belmira criada da pensão. Outros personagens são a vizinha D. Tatá com seu filho deficiente Tonico e a família rica também vizinhos da pensão.


Clarissa vai descobrindo os mistérios da vida, se encanta com tudo ao seu redor. É uma menina ainda, sonha no dia que fizer 14 anos para assim poder usar um sapato de salto alto. A vida na pensão é bem agitada, que torna o livro bem dinâmico. Clarissa é um doce de menina. Fica encantada com um doutor, sonha com ele. Sua primeira paixão platônica. O livro é sem maldades, leve e com personagens bem construídos. Os pais da Clarissa moram em uma fazenda no interior e só temos conhecimento deles pelas cartas enviadas a Clarissa.


Amei ler. Não é um livro difícil de ler, com 184 páginas apenas, texto de fácil compreensão. Clarissa uma típica adolescente do século passado, com os dilemas de todas as jovens de sempre: amores impossíveis, experiência com morte, com a decepção da descoberta da traição de um casal da pensão. Conflitos presentes até hoje. E Clarissa ainda é personagem de outros mais três livros do Érico Veríssimoo: Caminhos Cruzados, Música ao Longe e Um Lugar ao Sol. Não sabia, fiquei com vontade de saber mais sobre ela e seu universo.


O encontro do Clube de Leitura Penguin foi bem animado, com a maioria dos clubistas amando o livro. Todos acharam um livro fofo e gostoso de ler. Mais um livro que se não fosse pelo Clube de Leitura eu jamais pegaria para ler. Aliás, nem conhecia. Por isso amo fazer parte de um clube de leitura, nos instiga a conhecer livros diversos do seu apreço. 

Beijos literários
Adriana Balreira

Big Jato, a peça #52semanasdegratidão

Faz tempos que não posto no projeto #52semanasdegratidão, não por falta de agradecimentos. Sempre temos muito a agradecer. E nessa semana vou mostrar um pouco da minha aventura. Sim, porque a pessoa aqui se inscreve em algumas coisas sem mesmo saber do que se trata. Acaba indo e sai de lá agradecida por ser essa doidinha que topa tudo. rsrs... ♥ Senta que lá vem estória...


Estava eu no meu instagram e visualizo uma foto da @caixaculturalfortaleza no Instagram sobre a peça Big Jato e que teria uma oficina de Literatura Encenada no sabádo pela manhã, inscrições pelo e-mail. E lá fui enviar um e-mail querendo participar. Não tinha minima ideia do que seria. Achando eu que iriam comentar sobre a obra literária Big Jato do Xico Sá lançado pela Companhia das Letras. Autor cearense que adoro. Pessoa sem noção nenhuma, mas lá estava eu no sábado pela manhã, munida de papel e minha cara de pau!

Minha equipe de atuação na Oficina 

Gente, era uma oficina de teatro!!! Lógico que era! Eu e minha cabeça oca!! kkkkkkkkk... Mas embarquei na aventura. A diretora Morgana Kretzmann e o ator da peça Diogo Camargos quem ministraram a oficina. Tinham mais 6 pessoas participando. Todos com um pé no teatro. Eu era a única que não era ligada a arte da encenação. Era o peixe fora d'água.

Texto do livro que adaptamos para encenar.

Separamos em dois grupos e nos deram parte do texto do livro "Big Jato" para encenarmos. O texto do Xico Sá é muito engraçado e fizemos os dois trechos direitinho e demos muita risadas. Só eu mesma!! rsrs... No final das contas me diverti muito e passei duas horas com pessoas doces, gentis e simpáticas. A diretora Morgana e o ator Diogo são uns doces.

Diogo Camargos (Ator da peça) e eu


À noite lá fui assistir a peça no teatro Caixa Cultural. Havia comprado meu ingresso ao lado de um dos rapazes que fez a Oficina comigo e coincidentemente mais dois colegas da Oficina sentaram do meu lado também. A peça é hilária. Um monólogo sobre a visão do menino Xico Sá na região do Cariri - Ceará. O Diogo Camargos conseguiu retratar bem os vários personagens.


Espetáculo que vale a pena assistir. Um pedacinho do meu Ceará, dos causos engraçados vividos por Xico Sá tão bem representado pelo ator. E que ontem foi o aniversário do Diogo Camargos! Final da peça todos cantaram parabés e depois o ator e diretora conversaram com o público como tiveram a ideia e concepção da obra. Super enriquecedor esse bate papo.

E lá estou eu (terceira da esquerda para direita de blusa pink)! 

Tiramos várias fotos que a produção da peça irá colocar na página deles no facebook. Ah, e depois vão lá curtir e saber quando o espetáculo irá para sua cidade. Não percam. Maravilhosamente engraçada. Ah, e se tiver a Oficina Literatura Encenada não percam e participem. Bom demais. Mesmo não sabendo nada sobre representar! Vale pela descontração e fazer algo diferente! Amei!! #Gratidão



Post que vai lá para o projeto #52semanasdegratidão do blog da Elaine Gaspareto.

Beijos cheio de gratidão 
Adriana Balreira

Marcador de Livro para Colorir

Amo ler um bom livro!!! E para marcar a página do livro costumo usar um marcador de páginas daqueles que as editoras ou livrarias presenteiam. Mas sempre gostei de ter um marcador para chamar de meu! E fui no pinterest buscar ideias de marcadores para imprimir. Quando me deparei com um site com vários maradores de papel para colorir com arquivos para baixar!!! Delirei!!


Lógico que fui logo salvando todos os arquivos. Imprimi e comecei a pintar para usar nos meus livros. Agora tenho os marcadores lindos, fofos e pintados por mim! Do meu jeito fofo de ser! Imprimi em uma folha de gramatura mais grossa, feito os marcadores de papel mesmo. Mas também fica legal imprimir no papel ofício normal e colar em uma cartolina, assim fica resistente. 



Ainda fiz uso do meu Faber-Castell parado deste a modinha dos livros para colorir! Bastam baixar aqui e aqui e aqui os arquivos. Imprimir e colorir do seu jeito e ter vários marcadores de livros personalizados! Com a vantagem de relaxarem pintando...

Beijos coloridos
Adriana Balreira

Clube de Leitura Penguin #26 Infiel

Uma semana de atraso! Mas cá estou para contar o que aconteceu no último encontro do Clube de Leitura Penguin da Livraria Cultura que participo todos os meses. O encontro de janeiro aconteceu semana passada, já em fevereiro e o livro que lemos foi Infiel da Ayaan Hirsi Ali da editora Companhia das Letras. Uma autora da Somália, uma autobiografia.

Capa da edição econômica
Site | Facebook | Twitter  Instagram 

O livro começa com o assassinato de um cineasta holandês em 2004 com quem Ayaan fez um curta metragem chamado Submissão com uma carta que a próxima vítima seria a Ayaan Hirsi Ali. Ayaan era uma deputada eleita na Holanda e começa a contar a história da sua vida. Sua infância na Somália, com os clãs tão comuns daquela região africana. Narra como os pais se conheceram, se casaram e tiveram 3 filhos. Seu pai era um ativista político na Somália, era contra o então presidente e a família toda tem que fugir de lá. A mãe dela sofreu muito nessa partida, pois como mulçumana queria ir a um país totalmente islâmico. Foram primeiro a Arábia Saudita, depois para Etiópia e enfim no Quênia. Seu pai é totalmente ausente e sua mãe chega a ser brutal com os filhos. E aos 5 anos Ayaan sofre com a cliterectomia (circuncisão feminina), trecho totalmente impactante. Uma mutilação terrível!

capa da edição normal.

Uma infância cheia de sofrimentos, com mudanças de escolas e línguas diversas. Na adolescência tem uam professora de alcorão que a deixa uma muçulmana extremamente devota. Volta a Somália mas com a guerra de clãs no país não passa muito tempo e volta para ao Quênia.  Seu pai decide casa-lá com um somali residente no Canadá. Para ir ao encontro do marido ela viaja primeiro para a Alemanha onde decide ir para a Holanda e fugir desse casamento de conviniência. Pede asilo político na Holanda onde começa a fazer faculdade de ciências políticas e sua mente se abre a novas aventuras. Começa a se questionar sobre sua religião, a submissão das mulheres no Alcorão, o porquê das diferenças entre homens e mulheres se todos são iguais. Isso a deixa descrente. É quando se elege a Deputada e decide filmar o curta-metragem para que as mulheres consigam enxergar o papel dela na sociedade islâmica, que não podem ser submissas como exigem. Com o assassinato do cineasta, Ayaan tem que fugir novamente e hoje em dia mora nos EUA. 


Literalmente falando o livro não é uma obra prima. Tem partes monótonas e um tanto repetitivas. Uma história para conhecermos mais a cultura islâmica e da região norte da África. A parte do livro na Holanda é mais animada, mais gostosa de ler. A Ayaan escreveu outros livros, entre eles Nomânde que é a continuação do Infiel. O nosso encontro foi bem animado e rendeu várias discursões!! Bom assim!

Beijos literários
Adriana Balreira

Amizades de Sempre #5e6semanas #52semanasdegratidão

Duas semanas sem postar na blogagem #52semanasdegratidão do blog da Elaine Gaspareto. Podem brigar comigo! Mas estou de volta. Não tem justificativa que dê jeito esse sumiço. Foi pura preguiça mesmo! Confessei! rsrs... Mas bora lá falar um pouco de gratidão! Vou ser grata essa semana por meus amigos!


Tenho poucos amigos, mas amigos verdadeiros. E a maioria ainda são do tempo de infância, do colégio ainda. De quando tinha lá pelos meus 7 anos. É, amigos dessa época mantenho contato. Tem coisa mais gratificante??? Uma delícia conviver com pessoas que te conhecem desde pequena, viu suas mudanças, seu crescimento literalmente! São amizades onde a mentira não tem vez, onde você conhece tudo um do outro, suas origens, sua família. Sou muito grata por estar sempre em contato com eles.


Essa semana fomos conhecer uma hamburgueria e ter contato não só virtual mas também conversar cara a cara. Esse convívio gera trocas de vida. Enriquece a relação de amizade. É a hora de um desabafo e aconselhamentos de pessoas tão próximas, que te conhecem tão bem. E hora de rirmos muito um dos outros. Porque sabemos tanto do defeito de cada um que relaxamos mesmo.


Vou confessar, as vezes é dificil manter essa união. A maioria são casados com filhos, então imaginem o trabalho para achar um dia, um horário compatível para a maioria. Pois é, sou eu quem organizo esses encontros. Agradar a todos não é tarefa mole não. Mas é fico tão feliz quando dá certo! Muito gratificante manter amizades por mais de 30 anos!


Sempre uma farra nossas saídas. Podemos até chegar ao encontro triste, cabisbaixo... mas a energia positiva é contagiante. Saímos leves e doces. Um conselho, mantenham amigos sempre perto de vocês. Amigos de verdade! Os meus de infâncias são para sempre!! 

Ah, esse post está participando do projeto #52semanasdegratidão do blod da Elaine Gaspareto, vão lá!

Beijos doces 
Adriana Balreira

Tag Literária - Para quem é apaixonado por livros

A Elaine Gaspareto me convidou para participar de uma brincadeira bem legal, uma Tag Literária. O que é uma Tag? A Elaine lembrou bem, antes esse tipo de perguntas e respostas, nós blogueiras de antigamente, chamávamos de Memes! Agora são Tags! E são perguntinhas sobre os seus gostos literários e vou responder. Assim quem passa por aqui fica conhecendo um cadinho dos meus gostos literários. 


Respondendo a Tag Literária 

1) Nunca li: 
A série Harry Potter.
Juro que até tentei ler. Mas não consegui passar da décima página. Não é o estilo de leitura que me agrada. Fantasias em geral não me atraem. Nem mesmo os filmes do Harry Potter consegui assistir. 







2) Não sinto vontade de ler:
Livros do Nicholas Spark.
Não sei se é implicância por ter tentado assistir a um filme baseado em sua obra e odiado... Mas não consigo ter a vontade de ler os livros água com açúcar dele. Não me encantam em nada. E os filmes são tão chatinhos... como sentir atração pelos livros dele? 



3) Ninguém que eu conheça leu, mas eu gosto: 

Cadê você Bernadette? da Maria Sample.
Eu amei esse livro, dei boas risadas. Sabe aquele livro com um humor irônico? Pronto, é esse. A personagem principal é chata, introspectiva mas sou apaixonada pelo mau humor dela. O livro é super mega engraçado, conta a história de uma dona de casa 






4) O último livro que li: 
A Filha Perdida da Elena Ferrante.
A queridinha do momento. Confesso que esperava mais do livro dela. Vou dar outra chance e tentar ler a trilogia das Amigas. Porque esse da Filha Perdida me deixou confusa, não sei se odiei ou amei o livro. A personagem central é uma mãe e mulher chata demais para o meu gosto. Não me cativou a história da personagem. Muito sem noção. Agora o final foi impactante. Leiam, pois é um livro que foge do politicamente perfeito. 




5) Tenho preguiça de ler: 
Guerra e Paz do Leon Tolstoi.
Tenho em casa em a edição da L&PM com 4 volumes. Comecei a ler e achei a descrição da guerra muito chata e longa. Uma passagem dos cavalos sobre a ponte foram assim umas 20 páginas. Tá tudo bem que já li outros livros do Tolstoi e conheço seu estilo mega descritivo, mas nesse ele se supera. Acho que o problema é que não gosto de guerras. Livros sobre guerras não me atraem.  

6) Livro da minha vida:

Humilhados e Ofendidos do Fiódor Dostoiévski .
Díficil essa tarefa de escolher um livro para dizer que é da minha vida. Mas esse foi um dos livros do Dostoievski que mais amei ler. Um romance maravilhoso.








7) Leria de novo: 
Anna Karenina do Leon Tolstoi.
Li na adolescência e amei. Foi depois desse livro que meu amor pela literatura russa iniciou. E tenho muita vontade de voltar a degustar aquela história de amor e traição. 







8) Tenho vergonha, mas li e gostei: 
A série A Seleção da Kiera Cass.
Livros super adolescentes! Bem juvenil, mas amei. São tão água com açúcar. Um triângulo amoroso entre um príncipe, uma plebeia e um soldado. Onde estão escolhendo a esposa do príncipe!!





9) Muita gente leu, gostou e eu detestei: 

As virgens suicidas do Jeffrey Eugenides.
Sério, um livro que não entendi nada, achei os personagens um tanto chato e superficiais e principalmente não ficou claro o motivo dos suicídios. Não gostei mesmo. E amei o outro livro dele Middlesex.






Participem da brincadeira e me avisem para eu ir lá no blog de vocês ou mesmo por aqui nos comentários.

Beijos literários
Adriana Balreira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...