Como ficar podre de rico na Ásia emergente - Resenha

Mais um lançamento da Companhia das Letras que fiquei com vontade de ler, "Como Ficar Podre de Rico na Ásia Emergente". A capa super alegre, colorida, me chamou atenção. E gostei de saber que iria ler um livro de um autor paquistanês Mohsin Hamid. Uma cultura totalmente diferente, e pela sinopse se mostrava ser um livro bem inusitado. O título em si já é um enigma.


Site | Facebook | Twitter  | Instagram 

Sinopse: O paquistanês Mohsin Hamid é uma das grandes revelações da literatura recente em língua inglesa. A vivacidade de sua prosa lhe rendeu traduções para mais de 30 idiomas e uma adaptação de sucesso para o cinema, caso de seu romance anterior, O fundamentalista relutante. Hamid traz a história de um garoto pobre da zona rural que muda para a cidade grande, passa a vender alimentos com prazo de validade adulterado e fica rico ao montar uma empresa de distribuição de água engarrafada. Tudo se passa num país fictício, em tudo semelhante ao Paquistão, mas a trama registra um fenômeno próprio a todas as economias emergentes: a luta renhida por ascensão social e as oportunidades existentes nas franjas da lei. O trunfo do autor não é apenas a sensibilidade para temas cruciais da atualidade. Ele se vale de humor e grande ousadia formal: o livro é narrado em formato de manual de autoajuda. O protagonista é o próprio leitor, a quem o narrador se dirige por “você”, numa manobra estilística que revela o alto grau de maturidade literária de Hamid. Faz par com o personagem central uma “mulher bonita” por quem ele se apaixona na juventude e com quem passa a vida, na esperança de firmar uma relação. São personagens difíceis de esquecer, capazes de encontrar momentos de intimidade em meio a um país em ebulição. Sentimental sem pieguice, político sem proselitismo, Como ficar podre de rico na Ásia emergente é um livro capaz ao mesmo tempo de criticar e rir das agruras de nosso tempo. “Hamid reafirma seu lugar como um dos escritores mais inventivos e talentosos de sua geração.” Michiko Kakutani - The New York Times
O livro é bem diferente no estilo narrativo, pois o autor conversa com o leitor, como se quem está lendo fosse o personagem principal. E esse personagem é justamente quem fica rico em um país que não fica claro qual seja, só sabemos que fica na Ásia emergente. O livro começa com a infância pobre e morando no interior desse protagonista. Terceiro filho, que sobrevive a doenças infantis. Vai para a cidade grande com a família e como é o filho caçula, é o único que vai a escola estudar. Inteligente, esse herói do terceiro mundo, acaba se destacando e começa a trabalhar cedo e vai parar no mundo dos negócios de água engarrafada. E assim o livro vai se desenvolvendo e contando a história desse nosso personagem que vira rico, podre de rico. Sua vida é contada no decorrer dos paragráfos, mostrando que para percorrer esse caminho todo, muitas perdas e ganhos, muitas voltas, muito trabalho vai se ter. Não é fácil para ninguém. E no livro, o autor nos descreve essa trajetória desse menino até o fim da sua vida com muita maestria. 


O livro é composto de vários capítulos, que são conselhos do autor para ficarmos ricos, aliás podre de rico! E no começo de cada um, o autor escreve exatamente como em um livro de autoajuda, dando conselhos mesmo para ficarmos ricos. Mas acaba sendo engraçado e ao mesmo tempo com uma certa ironia e crítica aos livros de autoajuda. Adorei esses começos de paragrafos. O que mais gostei foi o terceiro capítulo: Não se apaixone!

E no livro, sim tem uma linda história de amor, que dura uma vida inteira. É, o nosso herói não se casa com o amor da vida dele, mas sempre acabam se encontrando e vivendo o amor deles. É uma história com um certo realismo. Retrata as perdas, o perigo, as angústias, a vida pobre do ínicio de vida dele, as lutas, a vida da família toda dele e lógico a vida boa que ele leva quando fica rico. Eu amei o livro, super diferente, um jeito de contar a história como eu nunca tinha lido. São 171 páginas, li em uma semana, pois é uma leitura rápida, fácil de entender. Mesmo sendo engraçado, em algumas partes do livro me emocionei. Vale muito a pena ler. Tem um vídeo muito legal da Companhia das letras sobre o livro:


Beijos podres de grande!!
Adriana Balreira

7 comentários:

Maria Luiza participou com o comentário número:

He! He! Deve ser divertido conhecer esse outro lado ou uma cultura super diferente! Você, Adriana relatou com muita vivacidade na sinopse, atiçando a minha curiosidade! Muito legal,me parece! Um grande abraço! Beijos!

✿ chica participou com o comentário número:

Aplausos para a resenha tão bem feita que fizeste. Colocas curiosidade em nós! Legal! bjs,chica

Zizi Santos participou com o comentário número:

Quando um livro nos emociona como num filme, é porque é bom! Saber de outras culturas e sentir que o sucesso desejado é alcançado, nos faz pensar que podemos conseguir tal efeito. Como sempre gosto da forma que escreve, causa um efeito maravilhoso de querer ler o livro!
beijos e um bom dia
Zizi

Andréa participou com o comentário número:

Adriana,
pelo jeito esse livro é degustante, apaixonante, adorei a resenha, fiquei com vontade de ler. Bom d+!

Bjs, sucessos sempre ♥

Berço do Mundo participou com o comentário número:

Fiquei super curiosa, só o título já é original e pensei inicialmente que fosse um livro de auto-ajuda! Não sei se o livro está disponível em Portugal, terei que pesquisar.
Obrigada pela partilha.
Beijinho, um doce fim-de-semana
Ruthia d'O Berço do Mundo

Neide Ribeiro participou com o comentário número:

O titulo parece mais um tipo de livro dando dica para ficar rico.
Portanto a estória é diferente e parece ser legal porque conta tudo.
bjs e sucesso com seus livros,para depois nos contar.

Claudia Leonardi participou com o comentário número:

Oi querida
Fiquei muito curiosa pra ler este livro tbe
Mais um pra minha lista interminável...rsrs
Bjks mil

www.blogdaclauo.com

Postar um comentário

Olá, adoro ler os comentários que vocês deixam.
Beijos
Adriana Balreira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...