Sombras da água #resenha

O grande e lindo autor moçambicano Mia Couto escreveu uma trilogia chamada As Areias do Imperador. Já comentei aqui no blog sobre o primeiro volume, Mulheres de Cinza. E dando continuidade, acabei de ler esses dias o segundo volume, Sombras da Água, lançado pela Companhia das Letras em setembro de 2016.


Site | Facebook | Twitter  Instagram 

No primeiro livro, Mulheres de Cinza, acaba com o Sargento Germano de Melo ferido nas mãos, sendo transportado pelo rio Inharrime para o único hospital da região em Chicomo em companhia da moçambicana Imani, do pai e irmão de Imani e da italiana Bianca. Antes de chegarem ao destino, resolvem pernoitar em Sana Benene na Igreja onde o Padre Rudolfo Fernandes residia. Padre esse quem ensinou a Imani a falar e escrever o idioma dos portugueses. O padre ficou feliz em novamente encontrar sua protegida e seus familiares. O Sargento Germano necessitava urgentemente de cuidados médicos por conta dos tiros que levou nas suas mãos, foi logo socorrido pela Bibliana, uma negra alta e magra, uma milagreira, a melhor das curandeiras da região.


E assim a história de amor entre o português Germano e da Moçambicana Imani continua nesse volume. Nesse livro o Sargento está a cada dia que passa mais apaixonado por Imani e relata esse amor nas cartas que envia para o Tentente Ayres de Ornelas, que não aprova esse relacionamento. Moçambique ainda está em guerra entre os portugueses e o Rei de Gaza. O irmão de Imani acaba sendo morto confundido por inimigos e assim seu pai quer dar Imani como esposa ao Rei de Gaza para assim vingar a morte do filho. O Rei tem várias esposas e Imani seria mais uma na sua corte para poder envenena-lo. No meio da negociação os portugueses acabam prendendo o Rei e algumas das suas esposas e com a comitiva Imani vai junto! Nessa altura do livro o Sargento Germano já está em Chicomo no hospital e chega na mansão do Rei de Gaza bem no momento da captura. Assim termina o segundo volume.


Vou confessar uma coisa para vocês, não gostei tanto do primeiro volume, tanto que demorei para ler o segundo volume. Era meu primeiro contato com a escrita do Mia Couto e acabei achando a narrativa muito arrastado. Não sei se Mia Couto estava apresentando os personagens, achei cansativo o primeiro livro. 

Nesse segundo tudo mais rápido e mais claro. A história tem um ritmo bom. Os personagens cresceram, tomaram vida. Já estava familiarizada com todos eles e assim ficou bem mais fácil a compreensão. E nesse volume o Mia Couto arrasa com as frases poéticas salpicadas em toda a história. Amei esse livro, já querendo muito o último volume que acaba de ser lançado pela Companhia das Letras O Bebedor de Horizontes

Beijos literários
Adriana Balreira

2 comentários:

Pedrita participou com o comentário número:

não vou ler em detalhes pq amo esse autor e vou querer ler esse livro. a capa é lindíssima. como em geral são as capas de seus livros. beijos, pedrita

Betty Gaeta participou com o comentário número:

Oi Adriana,
Eu continuo em dívida com Mia couto. preciso muito ler...
Beijos

Postar um comentário

Olá, adoro ler os comentários que vocês deixam.
Beijos
Adriana Balreira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...