O Quinze - Resenha

Esse ano está fazendo um século da grande seca daqui do Ceará. E em 1930 a escritora cearense Rachel de Queiroz escreveu o seu primeiro romance O Quinze sobre aquela terrível estiagem que devastou nosso estado. E sendo uma data tão significativa, eu não poderia deixar passar sem ter lido esse clássico. Eu tinha que ler ainda esse ano esse livro. Procurei por várias livrarias e não encontrava, até que um dia vi em um instagram uma linda edição de capa dura. Comprei de imediato. É uma edição comemorativa, a centésima edição do O Quinze da editora José Olympio do Grupo Editorial Record.


Quixadá, março de 1915, Conceição tenta convencer a avó de deixar a Fazenda Logradouro e ir com ela para a Capital fugir da seca. As fazendas do sertão já dispensaram seus empregados e soltaram o gado, pois não tem mais água e nem comida. Vicente é um dos poucos que não abandona suas terras e seus animais. Seus pais e irmãs vão para Quixadá. Conceição é normalista, apaixonada por Vicente. Porém o casal vive dos desencontros e desentendimentos. Chico Bento foi um dos dispensados pelo seu patrão e sai com sua família rumo a Capital para quem sabe chegar à Amazonas.

Esses são alguns dos personagens do livro O Quinze. Narra o sofrimento dos retirantes da seca, a grande seca do Ceará. O horror que foi esse período que de época em época insiste em voltar. Morte por fome, por sede... Como é cruel para o povo essa falta de chuvas. Lendo o livro, lembrei de 1982 que também teve uma terrível estiagem por aqui e era pequena e via aqueles retirantes, muito magros com crianças no colo, a pele tão escura do sol...



E esse fenômeno é contado no livro pela família do Chico Bento, pois eles não conseguem passagem de trem para Fortaleza e resolvem vim a pé. Quanta crueldade! E estamos vivendo mais uma grande seca, um século se passou e continuamos a mercê das chuvas. Esse ano fui para Banabuiú, cidade próxima a Quixadá, onde tem um dos grandes açudes do Ceará e chegando lá não vi água nenhuma.

Um livro que todo brasileiro tem a obrigação de ler. Ter só um pouco do horror que é a falta de água para um povo. E dar mais valor e economizar mais esse precioso líquido. Além de ler uma obra prima! Rachel de Queiroz foi a primeira mulher a entrar na Academia Brasileira de Letras! Escreveu esse livro não tinha 20 anos. Vale muito a pena.

Beijos Literários
Adriana Balreira

11 comentários:

✿ chica participou com o comentário número:

Com certeza, uma boa leitura e que bom que encontraste! bjs, chica

Sheyla Xavier participou com o comentário número:

Adri
Eu li fa muito tempo, um grande livro, excelente indicação , sobre um tema tão atual.

Bjokas e bom final de semana,
http://www.dmulheres.com.br/

Luci Hora participou com o comentário número:

Didi, eu confesso que as narrativas sobre a seca não me agradam. Não sei explicar bem o motivo. rsrsrs... Por exemplo, todos amam Vidas secas e eu DETESTO! Acho chato. Eu fui obrigada a ler muitas coisa clássica durante a época da faculdade. Eu tinha disciplinas específicas de Literatura brasileira e os professores falavam tanto sobre esses livros e eu me senti obrigada a lê-los. rsrsrs... Afinal, vai que um dia eu precisasse dar aula sobre eles, né? O único que eu lembro que foi até tema de prova na faculdade foi São Bernardo do Graciliano Ramos. Detestei igualmente. Depois, na épica do mestrado, eu fui aluna de Elisabeth Ramos, a neta do Graciliano Ramos, vc acredita?

Betty Gaeta participou com o comentário número:

Oi Adriana,
Estou em dívida com a RQ. Preciso ler este livro.
Bjs

Pedrita participou com o comentário número:

que máximo. adoro essa autora. preciso ler. beijos, pedrita

Fernanda S. Lucena participou com o comentário número:

Oi Adriana!
A capa achei tão bonita, apesar da história!
Aqui em PE assim cm em td Brasil a falta de água tá super preocupante, e esse livro apesar de antigo, se encaixa perfeitamente nos dias de hoje né?! Infelizmente!

Gostei da dica, tá anotada!

Bjoooooooos
muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

Marly participou com o comentário número:

Oi, Dri,

Eu li este livro e gostei também. Fiquei impressionada com o fato de ele ter sido escrito quando a escritora contava apenas19 anos. Eu sempre gostei da Rachel de Queiroz e tornei-me leitora das crônicas que ela escrevia nos jornais na maturidade, rsrs.

Beijo e bom fim de semana

Lulu on the sky participou com o comentário número:

Oi Dri
Esse livro é ótimo. Gostei tanto que consegui libertá-lo no Book Crossing blogueiro do ano passado.
Bom fds!
Big Beijos
Lulu on the Sky

Neli Rodrigues participou com o comentário número:

Não li este livro.
Bom conhecê-lo através da sua resenha.
Bjs

Andréa participou com o comentário número:

Adriana minha querida,
Só de pensar em seca me dá uma tristeza!
Gosto muito da Raquel de Queiroz, esse livro é mais uma das pérolas
deixada por ela.

Beijinhos, excelente semana! ♥

Postar um comentário

Olá, adoro ler os comentários que vocês deixam.
Beijos
Adriana Balreira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...