Curso Fortaleza Literária

 

Nessa pandemia adoro catar cursos literários on-line e grátis pela internet da vida! E no Instagram da Biblioteca Estadual do Ceará - BECE, equipamento reinaugurado a pouco aqui em Fortaleza, foi disponibilizado um curso literário - Fortaleza Literária, romances e espaços urbanos, ministrada pelo professor Charles Ribeiro.
Os livros estudados foram: 

- A fome do autor Rodolfo Teófilo
- A normalista do autor Adolfo Caminha
- A afilhada do autor Oliveira Paiva
- O quinze da autora Rachel de Queiroz
Todos os escritores cearenses, obras que retratam Fortaleza do final do século XIX e início do século XX. Com citações das ruas e praças do Centro, Aldeota (antiga Outeiro) e Benfica. O bom de lermos esses livros e identificar os logradouros da nossa metrópole, com os habitantes e costumes da época. Uma Fortaleza antiga que conversa bem com a cidade de hoje. 

O Charles Ribeiro é um estudioso da literatura cearense do século XIX e soube muito bem retratar cada livro de uma maneira poética e nos levar a essa urbe do século repassado. Contando causos entre os autores da época, as brigas e birras entre Rodolfo Teófilo e Adolfo Caminha. Detalhou como a nossa sociedade recebeu cada livro e como a população vivia.
Histórias da sociedade literária cearense desconhecida por mim. Como exemplo, a dedicação do farmacêutico Rodolfo Teófilo e ele mesmo fabricar vacinas para varíola e aplicar na população na sua própria residência, já que o Governador da época não se interessar por essa distribuição. Achei bem 2021 no Brasil!!! A história se replicando, como sempre... 

E também a história do Adolfo Caminha que se apaixonou por uma mulher casada e perder seu cargo na marinha e se juntar com ela e sair desfilando pelas ruas de Fortaleza para mostrar a toda sociedade que sim, assumiu uma descasada. Muito macho!
Outra história maravilhosa sobre nossa literatura, foi sobre a obra de Oliveira Paiva, Dona Guidinha do poço, escrita em 1888 e só lançada em 1951, muitos e muitos anos após a morte do autor. Os escritos foram perdidos e acharam muitos anos depois e já no Rio de Janeiro lido pela uma crítica literária que se apaixonou pelo livro e resolveu publicar. Oliveira Paiva, que hoje é nome de uma avenida de Fortaleza, morreu muito jovem como apenas 41 anos e escreveu somente dois romances e alguns contos. 



Bom, tiveram mais e mais histórias e causos onde aprendi muito. Foi um curso enriquecedor demais da conta. Então, se souberem de algum curso ministrado pelo professor Charles Ribeiro, façam. Ele sabe muito!!! E o suporte da Biblioteca pública foi muito boa! E ainda irei receber certificado pelo curso! Amei!! 

Beijos cearenses
Adriana Balreira

3 comentários:

Toninho participou com o comentário número:

Que bela descoberta Adriana este curso no destrinchar uma obra no seu tempo com todas as particularidades e contexto. Li A Normalista e o Quinze. Bem interessante este revelar os costumes e relações de personagens. Incrível como a coisa se repete neste Brasil, esta parte da vacina e o não interesse do governador. O Ceará tem uma longa linda e interessante historia, que acompanhava por uma herdeira dos Paivas.
Continue Adriana devorando livros e historias.
Carinhoso abraço amiga e boa semana.

Adelaide Araçai participou com o comentário número:

Adorei esse curso, vou buscar por aqui tambem.... Sabe eu demorei muito a "aprender a ler como se deve" buscando saber antes sobre o autor e sua localização, geografica e social, facilita a melhor compreensão do enredo dos livros.....
Muita Luz e Paz!
Abraços

Postar um comentário

Olá, adoro ler os comentários que vocês deixam.
Beijos
Adriana Balreira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...