O som do rugido da onça

Esses dias a Companhia das Letras disponibilizou para o meu kindle o livro da Micheliny Verunschk "O som do rugido da onça". Não conhecia a autora pernambucana, historiadora e em 2004 foi indicada ao Prêmio Portugal Telecom de Literatura, com o livro de poesia "Geografia íntima do deserto", sendo a única mulher estreante e também a mais jovem a ficar entre os dez finalistas. Fui lá ler o livro que será lançado no dia 10 de março de 2021 em uma live no Youtube da Companhia das Letras às 19h. Bom, antes disso tivemos uma conversa com a autora sobre o livro que foi maravilhoso, por isso não percam o lançamento! 


O som do rugido da onça, o que dizer desse livro! É uma história de ficção baseado em uma triste história de dois indígenas brasileiros tirados de sua terra para serem vistos e estudados por cientistas europeus. Iñe-e e Juri duas crianças indígenas de tribos diferentes, foram trocados por objetos e levadas para a Alemanha. A narradora é da menina, relatando toda a tristeza, angustia e terror de estar em uma terra estranha, sem entender suas falas e tendo que conviver com a saudade de sua gente, sua terra, suas águas e animais. E que tempo depois de chegarem a Munique não resistiram a tanta mudança de estilo de vida, mudança climática. 



Um texto cheio de lendas folclóricas, poético, humano, que só uma boa historiadora e escritora poderia escrever. Somos levados ao início do século XIX, para as terras indígenas na Amazônia e depois atravessar o oceano até chegar ao velho mundo. Uma viagem de dor e sofrimento. Um pedaço da nossa história esquecida e apagada, que a Micheliny nos retrata tão doce e verdadeiro. Uma verdadeira obra prima o livro "O som do rugido da onça". Daqueles que tiram o fôlego, nos revoltam. 



A autora revelou como foi a trajetória dela para escrever o livro. Que ela nunca esteve em Munique, onde as crianças foram levadas. Que recebeu ajuda das pessoas que já estiveram lá, além das pesquisas incansáveis de dois anos para finalizar o livro. Ela mesma descobriu ser descendente de indígenas, a deixando mais perto ainda da história desses inocentes. 



Fiquei encantada com tudo que li e de como foi a escrita do livro. Uma parte da nossa história cruel narrada tão docemente pela Micheliny Verunschk. Só digo que leiam. Maravilhoso. Ah, e sigam no Instagram a autora, está como @oncaverunschk, foi de onde tirei a foto dos índios que ela postou.

Beijos literários 
Adriana Balreira

2 comentários:

Pedrita participou com o comentário número:

não li nada dessa autora tb. obrigada pela indicação. beijos, pedrita

Adelaide Araçai participou com o comentário número:

Amei a dica já vou colocar na minha lista.
Muita Luz e Paz
Abraços

Postar um comentário

Olá, adoro ler os comentários que vocês deixam.
Beijos
Adriana Balreira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...