A guerra não tem rosto de mulher - Resenha

Li recentemente o livro Vozes de Tchernóbil da jornalista e escritora Svetlana Aleksiévitch que ganhou o prêmio nobel de literatura do ano passado,amei! E quando a Companhia das Letras lançou o segundo livro dela A guerra não tem rosto de mulher logo quis ler.

Exibindo IMG_1362.JPG

Site | Facebook | Twitter  Instagram 

Relatos das mulheres russas que participaram da Segunda Guerra Mundial. Muitas delas com participação no front de batalha. São histórias de combatentes que virão de perto a morte. Os livros de guerra em geral são contadas sob o ponto de vista masculina, dos soldados, suas estratégias, manobras militares. 


Nesse livro não, são fatos narrados por mulheres que testemunharam in loco o terror do conflito. Seus sentimentos que foram abafados nos tempos de guerra, sua feminilidade que foi trocada pelo terror de tentar sair viva da grande guerra. Vaidades postas de lado, paixões deixadas para trás... 



São relatos fortes, muitas vezes tristes, com muito sangue, fome, desesperos. Outros relatos são de mulheres cheias de esperança e amor. Essas mulheres entrevistadas pela Svetlana calaram-se por muitos anos, depois que acabou a Guerra tentaram voltar a vida de esposa, mãe, filha e só desabafaram depois de muito tempo. Um livro para descobrirmos o outro lado da guerra. A jornalista Svetlana conseguiu extrair dessas mulheres histórias profundas, leves, divertidas, fortes, mostraram a alma.


Svetlana esteve na FLIP - Feira Literária de Parati e falou sobre os dois livros dela lançados pela Companhia das Letras (video aqui). E esteve também no SESC em São Paulo onde Svetlana falou com os leitores, vale a pena assistir os vídeos.


Sempre bom termos conhecimento da história mundial recente. Principalmente sob um novo olhar, das mulheres, sempre fortes e determinadas. 

Beijos literários
Adriana Balreira

11 comentários:

Neli Rodrigues participou com o comentário número:

Tema bem interessante.
Mas você, minha amiga, numa outra vida, nasceu na Rússia ou região.
Sempre trazendo post para darmos uma olhada para aquele lado do globo.
Bjs

piteis da dinha participou com o comentário número:

Oi Adriana!
O tema é bem instigante, mais um que fico curiosa p/ler!
Bjsss amiga

Anajá Schmitz participou com o comentário número:

Interessante,uma obra mostrando os horrores que as guerras deixam. É um novo lado dos que sofreram.
Bjos

Zizi Santos participou com o comentário número:

Adriana
quando se fala em Russia logo lembro de você
No momento só conheço vc para ler e resenhar sobre tal literatura
livro interessante deve ser muito poderoso. Depoimentos de mulheres sempre são densos. Adoro
Eu nunca fui a Flip. A cidade já é muito visitada imagino que
em eventos assim, seja lotada demais!

Lá no passado, meu pai trabalhou para russos. Ele era um mecânico.
E creio que também foi ali que se afogou na vodka e não foi nada bom.
Certa vez me levou para conhecer a oficina (gigante) dos russos clandestinos naquela época. Junto aos russos, tinha um químico refugiado também. que fabricava bebidas e Whisky. Meu pai morria de medo dele. A fama era que ele tinha matado a mulher na Russia e dissolvido em ácido. Seria verdade? Não se acreditava.
Agora vejo que sim. Depois que aquele espião russo foi envenenado , acredito no que meu pai dizia.

eu escrevo tanto, ne?


bjs

Lua Mariano participou com o comentário número:

Ainda não tinha lido algo sobre esse livro, parece ser bom e com uma boa história.


Lua xx
Meu Mundo da Lua - FanPage

Marly participou com o comentário número:

Oi, Dri,

Nos dias da Flip (Paraty), eu vi uma entrevista da Svetlana Aleksiévitch que me fez desejar ainda mais ler os livros dela. Considerei a autora um refrigério para a alma, nesses tempos de ignorância e agressividade, rsrs.

Beijo

Maria Teresa Valente participou com o comentário número:

Boa noite, Adriana, os livros que lê são verdadeiras joias, para a compreensão da mente de mulheres corajosas, que enfrentaram a guerra e conseguiram sobreviver.
Obrigada, pela sugestão de leitura, felizes dias, abraços carinhosos
Maria Teresa

Betty Gaeta participou com o comentário número:

Oi Adriana,
Nunca li um relato de guerra focado em mulheres. Deve ser muito interessante.
Estou lendo "Um Vida Pequena", e chorando feito uma louca!
Bjs

Andréa Santana participou com o comentário número:

Hello, querida!
Esse livro deve ser muito interessante, mulheres na guerra, geralmente são
histórias narradas por homens.

Beijinhos ♥

Lulu on the sky participou com o comentário número:

Oi Adriana,
Confesso que esse tipo de tema não curto muito, fico abalada com temática guerra.
big beijos

Postar um comentário

Olá, adoro ler os comentários que vocês deixam.
Beijos
Adriana Balreira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...