As Virgens Suicidas - Resenha

Esse foi o primeiro livro que li em 2016, o primeiro no meu Kindle. Já tinha lido o livro Middlesex do mesmo autor e amei. Com isso quis ler As Virgens Suicidas para ver se eu também amava a narrativa dessa história tão instigante e forte. Suícidio de 5 irmãs no auge da juventude não é algo fácil.


Site | Facebook | Twitter  Instagram 

Estava esperando um livro que iria me arrebatar, me implorar para le-lo. E me decepcionei. Não sei se por conta de ter lido logo após o livro perfeito, também do Jeffrey Eugenides, o Middlesex que é fabuloso! Isso acontece, acaba de ler um livro forte e inicia logo um outro com temática também forte. E aí o livro não fluiu como imaginava. O livro é bom, não deixa de ser um livro interessante, instigante e diferente. A temática é bastante forte.


A história é de uma família típica dos Estados Unidos, mãe dona de casa, o pai professor de escola e 5 filhas adolescentes. Quando uma delas se suicida sem grandes motivos, ou melhor não dá para saber os motivos. Depois desse episódio a família até tenta levar a vida da forma mais normal. Porém os olhos dos vizinhos, da sociedade da pequena cidade onde moram, não tiram o foco dessa família que acaba se fechando em copas. O pai fica sem emprego, as filhas saem da escola, não saem mais de dentro de casa. Essa reclusão é narrada pelos vizinhos que ficam observando a casa e seus habitantes de fora e analisam o que acontece lá dentro. E depois de um tempo as outras filhas também cometem suicidio... 

Sinceramente não consegui formular o motivo desses suicidios todos. Não temos as vozes dessas meninas, os pensamentos delas. Nem mesmo o dos pais. Só sabemos o que é visualizado pelos vizinhos bisbilhoteiros. Essas moças pelo contexto são presas, podadas pelos pais severos que só querem a super proteção delas.


Tem o filme As Virgens Suicidas lançado em 1999 sobre esse livro que foi o primeiro filme dirigido por Sofia Coppola, filha do cineasta Francis Ford Coppola. Não assisti ao filme, então nem posso comentar se o livro é melhor não que o filme. Alguém assistiu? É legal? 

Beijos literários
Adriana Balreira

14 comentários:

Virginia Fukuda participou com o comentário número:

Gosto de ler resenhas de livros pra me situar em meio a esse marzão de publicações. No entanto, às vezes é bom a gente mesmo conferir se o livro é bom ou não, formar opinião própria etc. Mas, depois do "Middlesex" não tenho a mínima vontade de ler "As virgens suicidas", vou considerar a sua resenha como definitiva.

Zi Santos participou com o comentário número:

Raramente você fala que a leitura de uma livro não atendeu sua expectativa.
Creio que sei o porquê. Eu vi o filme pela tv, mas achei tão sem sentido que dormi.
Não sei te dizer nada sobre o filme, pq adormeci mesmo.
Agora pintou uma certa curiosidade , mas como ler o livro, se nem o filme consegui assistir, rs
desculpa a franqueza,

bjs

Pedrita participou com o comentário número:

eu vi o filme e foi muito impactante. quero ler o livro mas por enquanto acho que não tenho estrutura. eu ainda estou lendo os mandarins da simone de beauvoir, passei da metade, mas ainda há muito texto bom para caminhar. é esse mistério dos suicídios, a falta de um real motivo que mais instiga, porque não é nada óbvio. falei do filme aqui http://mataharie007.blogspot.com.br/2009/06/as-virgens-suicidas.html beijos, pedrita

Rosa Paula I Le Paquet participou com o comentário número:

Oi, Adriana! Eu não li o livro mas assisti ao filme e, sinceramente, gostei bastante. Não é um filme leve, claro! Mas faz pensar. E ele oferece um pouco (muito pouco mesmo) da visão de dentro da casa que você falou que não aparece no livro. Percebi os pais super perdidos, querendo cuidar das filhas, mas de uma maneira exagerada. Tive pais muito rígidos e acho que isso ressoou em mim. Vejo que era a forma deles de tentar proteger, mas que pode levar o filho e se desconectar completamente do que faz sentido na vida, como foi o caso nessa história. Se você realmente assistir adoraria saber a sua opinião.
Beijos

Andréa participou com o comentário número:

Hello querida!
Eu assisti o filme e gostei muito apesar de ser um filme forte.
Esse filme me lembra um pouco Carrie - A Estranha, sua mãe era tbm uma
fanática religiosa.
Gosto muito de suas dicas, os livros que vc nos indica são sempre bons e bem
vindos!

Um maravilhoso feriadão de carnaval pra ti!
Bjs ♥

Marion participou com o comentário número:

Ooooi! Saudades daqui! Obrigada por visitar a feira lá no blog :)
Nossa, que história, hem? Acho que não consigo dar conta de leitura assim. Mexe demais comigo. E já me senti satisfeita em conhecê-lo por meio de tua resenha, muito boa, como sempre! Abraço, querida!

Maria Teresa Valente participou com o comentário número:

Olá Adriana, não assisti o filme e como o livro não tem respostas, espero não ler. Gostaria, se soubéssemos a razão, se pelo menos tivessem deixado algo escrito.
Até hoje tento decifrar os enigmas do passado, só pude compreender alguma coisa com um pedido de perdão, mas até aí, nada imaginava.
O ser humano é muito complexo, tentamos não errar, observando os outros, mas sem dados, fica difícil. Quem está do lado de fora observando, não capta as emoções reais, só para ilustrar, todos aqui na cidade admiravam 1 casal e parabenizavam pela aparência de "felizes", o próprio "casal 20", no entanto, quando comecei a publicar o que vivia, todos se chocaram, acreditando que eu havia surtado.
Ele podia me matar e dizer que eu havia me suicidado, ninguém podia imaginar as ameaças e torturas que eu suportava, porque ele espalhou pela cidade que eu era louca, tinha delírios e estava em surto psicótico. Quem nos observa, vê apenas o que mostramos, o que sentimos ninguém percebe.
Pela resenha, muito boa por sinal, pretendo não ler.
Agradeço e desejo uma excelente semana, abraços carinhosos
Maria Teresa

Alexsandra Helga participou com o comentário número:

oi Adri!
Não conheço nenhum desses livros citados...No momento preciso de leituras leves...
Beijinhos
http://meusamoresvariedades.blogspot.com.br/

Betty Gaeta participou com o comentário número:

Oi Adriana,
Estou lendo Middlesex por sua indicação e estou gostando bastante. Estava pensando em ler As Virgens Suicidas por ser do mesmo autor e ter assitido o filme. O filme é bom... não ótimo. Dizem que foi baseado em uma história real.
Bjs

Neli Rodrigues participou com o comentário número:

Interessante, mas tb não gosto de livros que nos frustram. A gente sempre quer saber o que realmente aconteceu ou ter o outro lado da história. Mas sua resenha está ótima.
Bjs

Andréa participou com o comentário número:

Hello querida!
O leite do pão de queijo talha um pouco por causa do limão, o sabor fica mais especial e mais gostoso!

Bjs ♥

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) participou com o comentário número:

Olá amiga, estou precisando muito voltar a ler! Muito chato quando nos frustramos, outro dia me frustrei com um filme! Dá vontade de poder escrever o final rsrs bjoss

Gerliane Cabral Moreira participou com o comentário número:

Oi Dri!! Nossa quanto tempo tem que eu não comento por aqui né? Olha só, eu comecei várias vezes a assistir o filme, mas por um motivo ou outro não consegui ver até o final, mas achei interessante, agora fiquei como vontade de ler o livro! Vi que vc tá de kindlle né? Vai recomendando também uns livros que a gente consiga baixar por lá, realmente a leitura não se comprar com um livro de verdade, mas manter biblioteca de livros em casa por mais que seja lindo, dá muito trabalho, imagina eu que, estudo bastante, gosto de ler, tenho marido advogado (livros enooooormes) e ainda vez ou outra me mudo! Essas leituras de romances e hist´roas tô preferindo pelo kindlle mesmo.
Ah, só mais uma: Tô em Belém, agora, as passagens pra Fortal muito mais baratas daqui, qualquer hora dessas apareço por aí...
Olha que demoro a comentar aqui, mas quando comento, falo que só heim!!
Beijão

Postar um comentário

Olá, adoro ler os comentários que vocês deixam.
Beijos
Adriana Balreira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...