Metamorfose Ambulante...

Voltando do almoço, escutando meu Ipod, toca a cantiga do grande Raul Seixas: Metamorfose Ambulante. E vim refletindo como eu sou uma verdadeira Metamorfose Ambulante. E como isso é bom para o ser humano. E não estou falando somente de opiniões mais filosóficas, mas sim de coisas simples. Lembro que não comia chuchu, achava muito sem graça, sem gosto. E um dia resolvi comer com um outro olhar e hoje em dia amo chuchu. Até mesmo pessoas que eram indiferentes, hoje sou amiga, amante...


Outro exemplo na minha vida, quando era nova era uma comunista, lia sobre o Manifesto Comunista, lia as cartas de Lênin, adorava Fidel Castro, URSS, achava que a salvação do mundo estava no comunismo. E hoje sou uma consumista, capitalista de carteirinha Louis Vuitton! Lembro que não gostava de melancia, sim, de melancia! Hoje adoro. Me dou chance de provar e aprovar as coisas boas da vida. Estou sempre aberta a novas ideias, novas opiniões, novas descobertas. Me sinto mais livre e leve sendo desse jeito. Lógico que minha essência não vai mudar tão rápido, mas são nos pequenos detalhes que damos leveza a nossa vida.

E vocês, também são metamorfoses ambulantes?

Novos Beijos
Adriana Balreira

29 comentários:

Kati Stribe participou com o comentário número:

Olá, sabe que eu adoro essa música, cresci ouvindo (meus pais adoravam), e não é que me sinto uma metamorfose ambulante! Desde pequenas coisas até a maneira de agir, e isso que eu acho legal da vida, é estar com a mente aberta, só assim podemos aproveitar tudo que há de bom, mesmo que seja chuchu! Bjs
http://desejoserperfeita.blogspot.com/

Bianca Cristina participou com o comentário número:

UAL adorei seu blog, conteudo muito bom em, ja estou te seguindo, passa aqui pra conhecer o meu e se gostar segue tambem beijos!!
wwwdetd.blogspot.com

Simone Felic participou com o comentário número:

Todo mundo tem um pouco
de metamorfose, mudanças fazem parte
de gente.

bjs

http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

Marly participou com o comentário número:

Oi, Dri,

Há uma frase que diz que só os idiotas não mudam de opinião e eu concordo com ela, rsrs. A gente muda, logo mudamos também de pontos de vista, de gostos, etc. Acho que o importante é não perder os princípios! Sou fã do Raulzito, rsrs.

Um beijo!

Pedrita participou com o comentário número:

eu acho sempre bom nós revermos nossos conceitos. bom e saudável. e sou a favor dos direitos humanos. qq governo, filosofia, religião, ciência que venha a ferir os direitos humanos serei contra. beijos, pedrita

Pepa participou com o comentário número:

Oi Adriana, é a Vi, tudo muda, o mundo se transforma e nos também vamos nos adaptando..
muitos beijos,Vi

Cláudia Pinto participou com o comentário número:

Vendo por este lado, eu sou sim uma metamorfose ambulante.

Odiava cerveja, e passei a gostar com quase 40 anos, não gosto de todas, só das mais fraquinhas.

Odiava salada de verduras, passei a comer depois dos 40, agora como todos os dias.

E assim a gente vai vivendo, mudando, experimentando, gostando ou não ...

Amei da reflexão.

beijos

Luci Hora participou com o comentário número:

E o que seria de nós se não mudássemos nossas opiniões?

O que tem na nossa estante participou com o comentário número:

Eu sou super metamorfose ambulante!!! Eu digo que tenho um pé na revolução e outro no tênis Nike! Super me identifiquei com seu post!!!

Bjs, Mi

Neide Ribeiro participou com o comentário número:

Essa musica é bem antiga,mas é bonita.
Mas isso acontece com muita gente de não gostar de alguma coisa e passar a gostar.
Essa semana aconteceu comigo o mesmo,de fazer mal imprensão de alguém e depois ver que não foi nada do que eu pensava.
bjs!

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) participou com o comentário número:

Que legal Adriana, eu tbém me vejo assim, com o passar dos anos tenho mudado gostos, opiniões, paladares, religião, comportamento e tudo mais, isso é bom, é evolução eu acho! Bjinhosss

Andrea e Maki participou com o comentário número:

Muitas vezes mudando o olhar muda-se também a opinião né? Mudar na maioria das vezes é bom. Beijo enorme
Andrea Nakachima

Andréa participou com o comentário número:

Adrina,
concordo com a Marly, só idiotas não mudam de opinião, rsrs.
Se a gente não mudar de opinião o mundo não gira, nada funciona.

Bjs ♥

rose japan participou com o comentário número:

Concordo Dri tb sou assim abertas as mudanças e sempre pronta a aprender.. A apreciar coisas novas, mudanças de hábitos contudo sem perder a essência

Bjs rose jp

Fernando Pacman participou com o comentário número:

Oi Adriana
Sem dúvida eu sou uma metamorfose ambulante tb. Acho que a vida vai nos ensinando com o tempo e fazendo com que tenhamos mudanças (espero que para melhor).

Estou seguindo seu blog para acompanhar as atualizações e sempre que puder fazer uma visita.
Abraços

http://reaprendendoaartedaleitura.blogspot.com.br/

Bruxa do 203 participou com o comentário número:

Eu detestava beterraba e hoje eu amo com todas as forças!! Adoro ver tudo rosinha no prato!!

Nunca fui comunista, nem esquerdista, muito menos direitista. Já fui totalmente indiferente e hoje gosto de analisar os dois lados.

Jussara Neves Rezende participou com o comentário número:

Oi, Dri! Vc me fez lembrar uns versos do Fernando Pessoa (do poema "Lisbon revisited") que são a minha cara:
"Nada me prende a nada.
Quero cinqüenta coisas ao mesmo tempo.
Anseio com uma angústia de fome de carne O que não sei que seja -
Definidamente pelo indefinido..."
Sou quem vou me tornando a cada dia...
Abraço!

Betty Gaeta participou com o comentário número:

Oi Adriana,
Eu me dou o direito de mudar, sim! Já mudei muitas vezes. Não nasci vegetariana, me tornei, entre tantas outras coisas mais.
Muita sorte para você neste meio de semana.
Bjs

GOSTO DISTO!

Karin Filgueira participou com o comentário número:

Interessante, né, Adriana, querida, como temos a oportunidade de cada um, à sua maneira, encontrar formas de se sentir leves, serenas...
A leveza em nossas vidas é uma grde conquista!
Parabéns pelo post - breve e profundo!

Deus abençoe!
Bjs!!!
Karin Filgueira
BLOG: - Meu Doce Lar

Daniel Moura participou com o comentário número:

Essa música é muito boa, afinal todos nós estamos metamorfosiando...

abraço
Daniel
www.feitonahora.com

Tays Rocha participou com o comentário número:

Eu sempre digo que é muito bom nós termos a opção de poder mudar, nos adaptarmos e sofrermos transformações. Eu também sou assim, estou sempre revendo meus conceitos e percebo que mudo bastante de ideia, e com comidas também. Há um tempo atrás eu não tomava café, hj não fico sem! rsrsrsrsrsr.

Também estou com muita saudade, tenho tentado vir sempre que posso.

Beijos ♥

Jack Lins participou com o comentário número:

Olá Dri,
Acho que me identifiquei um pouco com você...o bom da vida é mudar sempre, temos essa opção, né?
Beijos

ღღღღ Cici ღღღღ participou com o comentário número:

De comida, odiava berinjela e hj como horrores. O contrário aconteceu com a salsicha, que comia muuuuito e hj me dá ânsia... hahaha! Vai entender.
Bjns
:)

Dayse Fashion participou com o comentário número:

A, com certeza eu sou essa metamorfose ambulante também Dri, estou sempre mudando e evoluindo, sem perder o meu "eu", e sendo feliz!
bjssss

Zizi Santos participou com o comentário número:

Já fui, já fui
agora estou centrada
já sei o que gosto, quero e o que eu sou
eu cantava essa música la pelos anos de 1973. Me esgoelava de tanto cantar.essa e a rosa de Hiroshima e outras de Chico. foi bom!
mas de comunismo eu tinha receio. A ditadura rolava na minha época, eu ficava quietinha.
Eu só ainda não tenho uma carteira Loui Viton, hehe
beijos
Zizi

Monalise Nogueira participou com o comentário número:

As vezes me permito enxergar as pessoas por um ângulo diferente, gosto de fazer isso e contudo, analiso muito. Sou seletiva com pessoas, mas com coisas não.

Beijos Monalise Nogueira

Ana participou com o comentário número:

Quem fica parado é poste e torna-se obsoleto...
Acho muito bacana sua postura.

Beijos

Telma Maciel participou com o comentário número:

Eterna metamorfose ambulante! Com certeza, precisamos estar abertos a novas coisas. Até mesmo pra saber se gostamos ou não... eu, por exemplo, não gosto de jiló... meu marido me fez experimentar um jiló frito na chapa uma vez. Não gostei. Depois trouxe linguiça recheada com jiló. Continuei não gostando (kkkk) mas me permiti experimentar.
Já com abobrinha foi diferente... eu não gostava, mas qndo fiz pra ele uma vez, gostei. Agora como. Não AMO, mas já é algo novo, rs
Beijo, metamorfa!!!

Postar um comentário

Olá, adoro ler os comentários que vocês deixam.
Beijos
Adriana Balreira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...