Conselhos, dar ou não?


"É perigoso dar um conselho que possa provocar sentimentos adversos." Tolstói
Lendo essa frase de Tolstói me pergunto, o que é ser amigo mesmo? Será que é passar a mão na cabeça do outro e dizer que ele sempre está certo? É escutar a opinião dele e calar porque a sua é diferente? É sempre acatar seus erros? O que é o correto? É dar conselhos??

Fico na dúvida como agir. De como ser interpretada. De estar me metendo demais. Porque sou daquelas que diz a verdade e nem sempre essa verdade agrada o outro. As vezes é justamente onde a ferida está aberta, causando maior sofrimento a essa pessoa.

Estava procurando outra coisa aqui na internet quando me deparei com isso:

Parar de dar conselho, e apenas ouvir - Menos conselhos muitas vezes é o melhor conselho. As pessoas não precisam de muitos conselhos, eles precisam de um ouvido atento e algum reforço positivo. O que eles querem saber já está em algum lugar dentro deles. Eles só precisam de tempo para pensar, ser e respirar, e continuar a explorar as viagens sem direção que eventualmente ajudá-los a encontrar sua direção. Nesse Blog

Não sei se o correto é parar de dar conselhos e só escutar, mas que irei ficar mais atenta no que dizer, eu vou. Encontrei uma reportagem muito legal sobre isso, Conselhos são arriscados para quem ouve e para quem dá nesse site Delas, vale a pena ler, aqui uma parte:

O que acontece é que as pessoas tendem a compartilhar suas experiências e a acreditar que o que deu certo para uma, é garantia de sucesso para outra. Não é bem assim. “Apenas quem está habilitado a tomar uma decisão é quem vive a situação”, alerta Ana Gabriela.

É amigos, nunca sei como agir. Dar ou não dar conselhos, eis a questão!

Beijos
Adriana Balreira

19 comentários:

Flaviane participou com o comentário número:

Oi Dri!
Realmente essa questão de dar ou não conselhos é muito dificil, pois se não damos dá a impressão de que não estamos nem aí...se damos corremos o risco de parecer intrometidos...affff
...só dou um conselho quando a pessoa pede...mesmo assim arriscando né?
Bjoks
@dedodimoca

Josiana Leite participou com o comentário número:

É complicado, mas comigo gosto de ouvir conselhos, mas em off, ou seja eu e a pessoa que quer me dar, mas a questão de aconselhar, acho que devemos estar atentos se o outro está preparado para ouvir e se quer ouvir, bem no meu caso sinta-se a vontade gosto de sempre de ouvir o que o outro tem a me dizer, a prendemos sempre , bjss
grande abraço

Cynthia Le Bourlegat participou com o comentário número:

Eu dava conselhos, mas já me dei mal por isso, hioje só se me pedem, mesmo assim oscilo rs beijo Dri

Cibele Leite participou com o comentário número:

É muito complicado, pois já perdi amigas por isso, como diz o ditado popular, se conselho fosse bom não daria e sim vendia, rsrsr

Beijokas

Flávia Mergulhão participou com o comentário número:

Quando me perguntam, eu dou a resposta, até pq uma das minhas marcas é a sinceridade e meus amigos sabem disso, então se querem um conselho, estão buscando sinceridade nas minhas palavras.É aquele famoso #prontofalei. Até hoje não perdi ninguém por conta disso, mas tb não saio falando aos quatro ventos. Sou mais de ouvir.
Um beijo

Iara participou com o comentário número:

Adri, às vezes basta trocar o conselho por um longo abraço, ele diz:
Eu estou aqui, junto contigo, o que você decidir terá meu apoio.
Eu do conselho muitas vezes sim, mas quando a pessoa está muito aflita em relação a outra que também conheço (esses são conselhos que mais dou), porque muitas vezes pode se perder uma amizade por não estarmos analisando bem, e é triste ver uma amizade perdida.
Mas quando a pessoa está ali, ansioso porque precisa tomar uma decisão sobre a vida, eu prefiro somente abraçar e me mostrar junto sempre.
Porque uma decisão sobre a vida, essa sim, deve ser tomada somente pela pessoa que terá a vida mudada.
Afinal todos sabemos, temos dois ouvidos e uma boca, porque devemos mais ouvir do que falar.
Abraços amiga

Neli Rodrigues participou com o comentário número:

Eu já cheguei à conclusão que mtas pessoas, vem até nós, não atrás de conselhos, mas querendo um ombro amigo pra desabafar, uma pessoa que simplesmente possa ouví-la.
Um dos jestos mais simples de caridade é saber ouvir, somente isto. Então tenho feito mta caridade, ultimamente,rsrs.
Hoje ouço mtos mais do que dou conselhos.
Bjs♥

Turquezza participou com o comentário número:

Ai Adri, acho isso muito complicado.
Eu tinha, sim tinha, umas pessoas que se diziam amigas que me ligavam toda vez que estavam numa "encruzilhada", não tendo opinião própria e totalmente perdida. Então me perguntavam: o eu faço? E eu sempre dizia, a decisão é sua seja qual for, boa ou não. Mas queriam "a minha opinião" então eu dizia: se fosse eu que estivesse nessa situação faria isso assim assim .... Depois de tudo passado, sempre rolava uma certa confusão, porque eu tinha dito isso assim assim. Para acabar com isso, nunca mais dei minha opinião. Então algumas pessoas se afastaram. E eu gostei, porque só ligavam quando acontecia algo de ruim e ainda me colocavam no "fogo".
Pois é, eu sou sincera e honesta aos extremos, então não venha mais me complicar com ti ti ti. Não sei se estou certa, mais vivo muito mais feliz assim.
Beijos.

Andreia Lica participou com o comentário número:

Acredito que se a pessoa é amiga mesmo e te pede um conselho, ela sabe que poderá ouvir o que quer ou o que não quer...o que acontece muito é que as pessoas nem sempre querem ouvir a opinião alheia, nesse caso é melhor calar.

Bjão

Maria Reciclona participou com o comentário número:

Oi Dri. Sim, esse é um assunto delicado. Muito delicado. Mas aprendi que saber ouvir é mais difícil do que falar... aprendi que ensinar pelo exemplo (de comportamento) é o caminho mais honesto. E aprendi que ser amigo, da forma que dermos conta é o que podemos fazer... por hora. Amanhã, se Deus quiser, seremos melhores do que hoje e assim sucessivamente....

Geny Iwankio participou com o comentário número:

Nossa, isso é complicado mesmo viu!!
A gente quer ajudar mas acaba piorando!!

Estou te seguindo querida, se puder dê uma passadinha no meu blog e siga tbm!!
:D
www.metalmake-up.blogspot.com

Faniquito participou com o comentário número:

Taí um assunto delicado de se tratar.Mas eu ajo da seguinte maneira:se a situação for "importante" e eu percebo que a pessoa está desorientada e realmente precisa de ajuda ...eu falo e com muita sinceridade.Porém , procuro ter muito cuidado com as palavras a fim de não ferir o sentimento dela que já está vivendo uma situação complicada.

Em contrapartida, se o assunto não é relevante procuro sempre lembrar que tenho uma boca e dois ouvidos e aí opto em usar os "zovidos".

Beijinhos

Ana

Monalise Nogueira participou com o comentário número:

ô coisa complicada é isso de dar ou não conselhos né?
Eu mesma, não gosto muito de compartilhar minhas experiencias pessoais, sendo elas boas ou ruins. Aconselhar é uma das coisas que eu não gosto nem de ouvir e muito menos de dar.

Clara participou com o comentário número:

Adriana, é difícil mesmo.
Às vezes queremos só desabafar um pouco. Eu pelo menos não queria que ninguém resolvesse meus problemas, mas apenas me escutasse ali em silêncio e me desse os ombros pra isso. É tão difícil, mas tão simples.

Beijosssss

Maitê Rodrigues participou com o comentário número:

Oi, Adriana!
Quer um conselho? Hehehe, brincadeira!! É uma questão difícil mesmo...só passei pra ver o q vc tinha de novo por aqui. Até qualquer dia... Bjs.

Lucinha participou com o comentário número:

Adriana,

Cocei até a cabeça.Rs Esse assunto é delicado mesmo.
Eu tenho muitos... muitos amigos no Brasil e amamos partilhar. Nem sempre, nós passamos a mão na cabeça um dos outros. Quando é necessário, também exortamos. Mas isso tudo dentro de muito carinho.
Aprendi nesse convívio a escutar, e partilhar. E mesmo estando tão longe, eles me procuram sempre pra dividir aquilo que aflige os seus coraçõs.
Só não dou conselhos, e sempre digo pra eles, que não sou modelo de vida pra ninguém.
Bacana esse post. Beijos

Aqui na Cozinha - Patty Martins participou com o comentário número:

Eita que eu tb não sei como agir.
Mas na maioria das vezes, só escuto. Sem julgamentos. Daí vamos conversando depois e deixo a pessoa chegar a suas próprias conclusões.
Beijos
Patty

Kinha participou com o comentário número:

esse negócio de dar conselhos é complicado mesmo!

Bibia Bueno participou com o comentário número:

Depois de muito apanhar, hoje eu faço assim.

- Veja bem, você quer MESMO saber minha opinião? Porque eu falo o que penso e não o que você quer ouvir. Quem pergunta quer saber, você quer MESMO perguntar????

De graça? No way. Depois sou mentirosa, invejosa, pessimista, cruel, má, louca... não me meto onde não for chamada. A não ser que me envolva, se me envolver eu falo tudo que penso. ;)

Beijos!

Postar um comentário

Olá, adoro ler os comentários que vocês deixam.
Beijos
Adriana Balreira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...